E o Rayan e o Léo Naldi? Ponte Preta divulga boletim médico. (Foto destaque: Álvaro Jr./PontePress)

De antemão, para o próximo duelo da Série B em que a Ponte Preta recebe o Botafogo, o time tem duas dúvidas. Do mesmo modo, a pergunta é: E o Rayan e o Léo Naldi? Da mesma forma, o zagueiro e o volante deixaram o campo lesionados na vitória contra o CRB.

Assim também, o time divulgou nesta terça-feira (9) boletim médico sobre a situação física dos atletas. Bem como, os futebolistas são tratados como dúvidas para o próximo duelo.

Segundo o comunicado do clube, Rayan teve uma entorse no tornozelo direito. Por outro lado, Naldi sofreu uma entorse no tornozelo esquerdo.

“Ambos seguem em tratamento, e a presença deles no próximo jogo vai depender da evolução do quadro clínico e físico de cada um nos próximos dias” diz a nota.

Juntamente com isso, entre os dois, Naldi é quem tem mais chance de ficar à disposição do comandante até quinta-feira. A saber,  o problema dele foi menos grave que o de Rayan.

Do mesmo modo, por tornozelo, o atacante Richard segue entregue ao departamento médico. Vale lembrar que o jogador já foi desfalque diante do CRB e provavelmente continuará fora contra o Botafogo.

Em suma, o elenco da Macaca realizou um treino na manhã desta terça-feira (9). De maneira que, a preparação será finalizada na quarta.

Nesse ínterim, com 42 pontos, a Ponte tem quatro a mais que o Londrina, o primeiro da zona de rebaixamento, restando 12 pontos em disputa.

E o Rayan e o Léo Naldi vão para o jogo?

Contudo, vale lembrar que as equipes já se encontraram 25 vezes. De maneira que em duelos espalhados pela Brasileirão, Robertão e Torneio Rio-São Paulo. Por outro lado o Fogão tem certa vantagem com 12 vitórias, já a Ponte soma 8, além de 5 empates.

Ou seja, o primeiro duelo da Série B de 2021 entre as equipes aconteceu pela 16ª rodada e no Estádio Nilton Santos. Da mesma forma, o Botafogo saiu vitorioso pelo placar de 2×0.

 

Foto destaque: Álvaro Jr./PontePress

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs