Diretorias de Ponte Preta e Corinthians se aproximam por 'parceria' no mercado. (Foto destaque: Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians)

De antemão, nos últimos dias, as diretorias da Ponte Preta e Corinthians têm se aproximado nos bastidores do mercado da bola. Eventualmente, focada no retorno para a Série A em 2023, a Macaca se utiliza da boa relação com a gestão do presidente Duílio Monteiro Alves. Assim também, a ideia é firmar uma parceria, que lhe renderia o empréstimo de até três jogadores do Timão.

Vale lembrar, por enquanto, os clubes ainda não fecharam qualquer acordo. No entanto, o Corinthians já encaminhou a renovação do empréstimo de Fessin. De maneira que, o atleta que defendeu a Macaca no segundo semestre deste ano

Logo, outra possibilidade é liberar o volante Matheus Jesus ao clube campineiro. Da mesma forma, a Ponte ainda tenta um terceiro nome da lista de atletas que possuem contrato no Parque São Jorge, mas que não trabalharão no próximo ano.

Diretorias de Ponte Preta e Corinthians se aproximam por parceria

Simultaneamente, o Corinthians trabalha em busca de um centroavante. Bem como, o gerente de futebol Alessandro Nunes explicou que, da lista dos que retornam ao clube na próxima temporada, dois ou três nomes devem ser reintegrados. O restante tende a ser colocado no mercado da bola.

Por outro lado, a Ponte ciente deste cenário, a se aproxima do time. Analogamente, a relação entre os dois clubes é boa e, nos últimos anos, os clubes negociaram nomes como Marllon, Clayson, Xavier e Matheus Alexandre.

Em compensação, a equipe do Parque São Jorge cedeu por empréstimo Mantuan, Marciel, Maycon, Araos, Marquinhos e Fessin.

Por fim, na próxima temporada, a Macaca disputa o Campeonato Paulista, a Copa do Brasil e a Série B do Brasileirão. A princípio, o Corinthians ajudaria com parte dos salários de seus atletas, enquanto a Ponte os colocaria na vitrine ao longo de 2022.

Foto destaque: Divulgação / Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs