Dérbi pelo primeiro turno da Série B. (Foto Destaque: Marcos Ribolli)

Inicialmente Ponte Preta x Guarani  vão igualar uma marca que dura mais de três décadas. Assim também desde 1985 não acontece o dérbi em que os rivais se enfrentavam quatro vezes no mesmo ano. De maneira que essa marca será atingida na próxima sexta-feira (17), no Majestoso.

Juntamente com isso em 2021, já foram três encontros, com uma vitória para cada lado, além de um empate. Simultaneamente o próximo clássica mostra quem leva a melhor no “campeonato à parte”. Por outro lado por estarem nas mesmas divisões estadual e nacional, os times fariam pelo menos três duelos. No entanto por conta da pandemia do coronavírus  a última Série B “invadiu” 2021 , o número aumentou.

Eventualmente o primeiro confronto foi em 5 de janeiro, pelo segundo turno da Série B 2020: 1 x 1 no Brinco de Ouro. Na sequência pelo Paulistão, a Ponte venceu no Majestoso por 3 x 1,  com dois gols. Similarmente pela atual Série B, o triunfo foi alviverde: 1 x 0 no jogo no Brinco de Ouro.

Dérbi

Por outro lado em 1985, os dois times fizeram quatro clássicos no mesmo ano pela última vez. Bem como cada um dos times conquistou uma vitória e dois empates:

09/06/1985 – Guarani 0 x 3 Ponte Preta – Campeonato Paulista
10/07/1985 – Guarani 1 x 1 Ponte Preta – Campeonato Brasileiro
17/07/1985 – Ponte Preta 0 x 0 Guarani – Campeonato Brasileiro
08/09/1985 – Ponte Preta 1 x 2 Guarani – Campeonato Paulista

Do mesmo modo o retrospecto geral do clássico, o Guarani tem uma ligeira vantagem, com 68 vitórias, contra 66 da Ponte. Além disso 65 empates e um resultado desconhecido – justamente o primeiro dérbi.

Em conclusão os times chegam para o novo capítulo da rivalidade com brigas distintas dentro da Série B. Assim também a disputa em 05/08/1981 você lembra?

Especial semana do dérbi capítulo 4: 05/08/1981 você lembra?

(Foto Destaque: Marcos Ribolli)

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs