Clasico de los medianos

Desclausurando o Uruguaio é uma coluna semanal com o intuito de explorar histórias, curiosidades e tudo o que envolve o futebol bicampeão mundial. Por certo, o tema dessa semana contará a história do Clássico dos Medianos, tendo como protagonistas os times uruguaios Danubio Defensor Sporting. Haja vista, o confronto é considerado por muitos o 2º maior do futebol uruguaio, ficando atrás do Superclássico do país: Nacional e Peñarol. Antes de mais nada, vamos conhecer os personagens deste clássico.

DANUBIO

Era o auge do futebol uruguaio com a conquista da Copa do Mundo de 1930, e então a população começou a se interessar pelo mundo da bola. Na cidade de Montevidéu, mas precisamente no bairro Curva de Maroñas, três jovens estudantes tinham o desejo de criar um time de futebol, convidando amigos e parentes próximos. Dessa forma, a casa de Maria Mincheff de Lazaroof, mãe de um dos fundadores, se tornou o ponto principal das reuniões do futuro time. Em certo tempo, com o nome Tigres, surgiu a oportunidade de um jogo, mas não tinham uniforme. Nisso, surgiram as cores que até hoje fazem parte do clube: branco e preto. Cada um usou uma camisa branca e dona Maria costurou um detalhe em preto nelas definindo assim, o 1º uniforme do time. Na ocasião, foram derrotados, mas prometeram uma revanche, que veio a acontecer em 1933 com o time de nome novo.

Um ano antes da revanche, dia 1º de março de 1932 foi conhecido como a data de fundação do time, e Danubio escolhido em definitivo para nomear o clube. Uma homenagem de Maria Lazaroof para o principal rio de seu país de origem, a Bulgária. Depois de notórias aparições, o time estreou na elite do futebol uruguaio derrotando o Peñarol. Com efeito, o clube se tornou um dos grandes e importantes times do Uruguai, e logo mais começou suas participações em torneios internacionais, se rivalizando com o Defensor Sporting, o 2º maior clássico do país.

Primeira formação do danubio
Primeira formação do Danubio / site oficial do clube

Leia mais:

DEFENSOR SPORTING

No bairro Punta Carretas, em Montevidéu se originou o Defensor Football Club, em 15 de março de 1913. Inicialmente, o time tinha em mente jogar com o uniforme verde, porém a única cor disponível era o Violeta, e foi assim que Defensor ganhou sua alcunha de La Violeta. Pouco tempo depois da fundação, o clube já estreou na 3ª divisão uruguaia, um ano depois, 1914 já conseguiu chegar na divisão superior, conquistando em sequência, a vaga para a elite do futebol do país. Depois do rebaixamento em 1917, o Defensor se dissolveu com a saída do corpo de direção e os jogadores indo para outro time. Assim, renasce como Club Atlético Defensor, disputando outros torneios. Em 1989, o Defensor Sporting se origina de uma associação entre o Club Atlético Defensor e o Sporting Club Uruguay, fato que ajudou no crescimento e popularização do time pelo Uruguai. Assim, depois de uns anos, se originou o Clássico dos Medianos. 

EL CLÁSICO DE LOS MEDIANOS

ORIGEM

A rivalidade começou de fato nos anos 90, quando Danubio e Defensor começaram a se sobressair no cenário futebolístico. Dessa forma, o nome do clássico significa que os dois times são considerados médios no Uruguai, ou seja, menores que Nacional e Peñarol, e maiores que os demais clubes da liga. Diferentemente de outros clássicos do país e de outras partes do mundo, o Mediano se contrapõe em relação a localidade. Enquanto o Danubio tem maior parte da torcida no bairro Jardines del Hipódromo, região mais humilde no nordeste de Montevidéu, os do Defensor são do Parque Rodó, local onde se tem condição financeira melhor, ao sul. Outra história contada, é a rivalidade desde as categorias de base, já que os dois times sempre decidiam os títulos dessas divisões entre si.

PARTIDAS HISTÓRICAS

Antes mesmo de ser considerado um Clássico dos Medianos , os times se enfrentaram pela 1ª vez em 1948. Ainda como Club Atlético Defensor, La Violeta ganhou a partida por 2 x 1. Nos anos 2000, na antiga Copa Artigas, o Defensor aplicou duas goleadas pra cima do seu rival Danubio. A primeira, pelo placar de 4 x 1, e com gol de Eliomar, atacante brasileiro que fez história pelo Defensor Sporting, sendo o quarto maior artilheiro da história do clube. Já a segunda foi em 2003, o La Violeta aplicou a maior goleada da história do clássico, 6 x 0. Mas anteriormente, o Danubio também marcou placar elástico contra o seu rival, 4 x 0, em 1985, quando os times não estavam bem no campeonato.

RETROSPECTO 

De acordo com o site OGol, o Clássico dos Medianos já ocorreu 32 vezes, e com vantagem para o Danubio, foram 13 vitórias. Mas pelo outro lado, 12 vitórias, ou seja, um confronto de muito equilíbrio. Em relação às conquistas, ambas equipes possuem quatro Campeonato Uruguaios. Na liga pré-Libertadores, o Defensor leva vantagem, são oito títulos contra um do Danubio.

OS BRASILEIROS ARTILHEIROS

Coincidentemente, os únicos dois brasileiros artilheiros do Campeonato Uruguaio jogaram por Danubio e Defensor Sporting. A começar, Araquem de Melo, foi o primeiro jogador da história do De la Curva a ser artilheiro de uma só temporada do Uruguaio. Foram 12 gols marcados na competição de 1966. Já Eliomar Márcon começou a jogar pela La Violeta em 1998. Mas foi em 2001 que entrou para a história do time, marcando 22 gols e se tornando o artilheiro da competição, no ano.

Defensor x Danubio
Defensor Sporting x Danubio 2019 / site Defensor Sporting

Foto destaque: Twitter @EsportivaTabela

Mariana Tolentino
Mariana Tolentino
Meu nome é Mariana Tolentino Dias, sou goiana, tenho 20 anos e curso Jornalismo na PUC-GO. Não me vejo fazendo outra área a não ser o esportivo. Futebol e NBA são minhas paixões. Torcedora roxa do Goiás Esporte Clube e do Houston Rockets

Artigos Relacionados