Inicialmente enquanto o Campeonato Paulista segue paralisado a Ponte Preta se prepara para enfrentar o Criciúma. Isso porque a CBF marcou a partida pela segunda fase da Copa do Brasil na próxima quinta-feira (8). Ainda mais que o jogo acontece às 19 horas. Bem como Camilo afirma que o time precisa fazer um belo trabalho para se classificar a terceira fase:

“É um jogo de muita responsabilidade. O Criciúma vem jogando o Catarinense e em termos de ritmo de jogo estão um pouco adiante de nós, porque o Paulistão foi paralisado. Acredito trabalho e espero que isso não nos afete”, diz o meia.

Assim como diferente da primeira partida, agora para conquistar a vaga a Ponte terá que vencer. Ou seja, no tempo normal ou nos pênaltis. Vale lembrar que na primeira partida contra o Gama a Ponte tinha a vantagem do empate e saiu vitoriosa.

Adversário da Ponte Preta

Desde já o Criciúma vive uma fase complicada. Por outro lado a última vitória da equipe sulista foi no dia 11 de outubro de 2020, pela primeira fase da Série C do Campeonato Brasileiro. Assim também desde então foram 15 partidas sem vencer, com seis derrotas e nove empates.

Bem como o time é o lanterna do Catarinense e demitiu o técnico Hemerson Maria durante a semana. Segundo Camilo quando foi questionado sobre esta situação, o meia alerta para o fato de que a Ponte Preta tem que fazer a parte dela.

“É preciso 100% de foco na partida”.

“Mesmo levando em consideração a questão emocional deles, em função dos últimos resultados, é um jogo de mata-mata, difícil. Temos de respeitar o adversário e fazer um belo trabalho para sair com a classificação”, afirma o camisa 10.

Camilo diz sobre a COVID

A princípio um dos 18 atletas pontepretanos a ter sido infectado por Covid-19 na temporada, Camilo fala sobre o episódio:

“Fiquei uns dois, três dias com sintomas que me dificultaram um pouco. E a adaptação é sempre complicada depois que você da Covid, alguns pegam mais forte, outros menos, mas a primeira semana de adaptação quando você volta é difícil, depois é mais suave. Agora, com 20 dias de preparação, me sinto bem e tranqüilo”, afirma.

Assim também o atleta conta que o período sem jogos no Paulista possibilitou mais tempo de trabalho para que ele e os colegas de elenco se preparassem. Da mesma forma vale lembrar que a Ponte completou nesta semana a quinta bateria de exames seguida contra Covid19 na qual nenhum resultado veio positivo.

“Não tem como falar sobre 90 minutos agora, estou praticamente um mês e dez dias sem competir em alto nível e vamos ver com o decorrer das partidas como eu vou me saindo. Mas pelos treinamentos estou me sentindo bem”, afirma.

Em conclusão, o jogador aproveitou esse período para evoluir no treinamento físico. Bem como no trabalho tático do Fábio Moreno.

 

 

Foto destaque: Diego Almeida/ PontePress

Avatar
Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs

Deixe uma resposta