Uruguai x França – Camisas azuis e três taças em campo

Que comecem as quartas de final! Nessa sexta-feira (6), às 11h (Brasília), em Nizhny Novgorod, UruguaiFrança dão início à fase entre os oito melhores da Copa do Mundo até aqui. Ambos vêm de resultados apertados, com os companheiros de Paris Saint-Germain não deverá ocorrer.

URUGUAI

A Celeste Olímpica está em Nizhny Novgorod, palco do embate, desde domingo (1). Saindo de Sochi, onde enfrentou Portugal, viajou por pouco mais de 2h de avião, cerca de 1.817 km, até chegar ao seu destino.

Nessa quarta-feira (4), uma possível baixa importante foi levantada. O atacante Cavani, que havia pedido para ser substituído no segundo tempo da última partida com dores na panturrilha, realizou trabalho separado e não foi a campo em treino fechado. Já que o técnico Óscar Tabárez costuma trabalhar com seus jogadores dispostos em 48h antes de cada jogo, a presença de El Matador é muito difícil, até mesmo para o banco de reservas. Para a vaga, o jovem Stuani deve fazer a dupla de ataque com Suárez.

A ausência do camisa 21, autor de três gols até aqui, certamente será sentida. Pelo menos fora de campo os números não são nada bons: nas vezes em que o Uruguai esteve sem um dos seus atacantes em campo, a equipe amargou derrotas em jogos cruciais, tanto em Mundiais como em edições da Copa América.

Sem Cavani, Tabárez deve manter a equipe que conseguiu quatro vitórias até aqui no Mundial, apenas fazendo o ajuste com Stuani na vaga do atacante do Paris Saint-Germain.

Provável escalação: Muslera; Giménez, Godín, Cáceres e Laxalt; Nandez, Torreira, Bentancur e Vecino; Suaréz e Stuani. Técnico: Óscar Tabárez.

FRANÇA

Apesar do placar apertado, a vitória contra a Argentina em Cazã deu novos ares à equipe, principalmente por conta da boa atuação ofensiva. Tanto é que o destaque da partida, Mbappé, autor de dois dos quatro gols, além do pênalti sofrido e convertido por Griezmann, tem sido fortemente especulado no Real Madrid devido a uma suposta saída de Cristiano Ronaldo para a Juventus. Os boatos foram tão fortes que o próprio clube espanhol se viu forçado a emitir uma nota em seu site desmentindo a hipótese.

Na quarta-feira (4), Griezmann, que não treinou no dia anterior, voltou às atividades normalmente e não preocupa o técnico Didier Deschamps. A única ausência confirmada até aqui é a do meia Matuidi, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Para preencher a vaga do camisa 14, Tolisso deve voltar ao time, já que ele começou o torneio como titular no jogo contra a Austrália.

https://twitter.com/equipedefrance/status/1014236594927226880

Se a superstição de Suárez e Cavani em campo é válida para o Uruguai, existe um fato curioso sobre Les Bleus e que será posto à prova novamente no próximo jogo: a França não perde para sul-americanos em copas desde 1978, na edição realizada na Argentina. Na ocasião, caiu, ainda na fase de grupos, justamente para os donos da casa, que seriam os campeões posteriormente. De lá pra cá, foram quatro vitórias, incluindo a última, contra a Argentina, e quatro empates em oito jogos. A principal vítima dos franceses é o Brasil, eliminado nos pênaltis em 1986 após empate em 1 x 1 e nas quartas de final em 2006 por 1 x 0, gol de Henry com assistência de Zidane, além da final de 1998, em Paris, com dois gols do ex-treinador do Real Madrid e outro de Petit, fechando o placar em 3 x 0.

Contra o Uruguai, coleciona dois empates zerados nas copas de 2002 e 2010 ainda na fase de grupos. Curiosamente ou não, ela acabou por ser eliminada precocemente, nem avançando ao mata-mata em ambas as ocasiões. Caso França e Brasil – que mede forças contra a Bélgica – avancem às semifinais, o tabu poderá ser mantido a favor dos franceses, o que os levaria a mais uma final, ou quebrado pelos brasileiros, os que mais sofrem com a escrita devido às três eliminações para os europeus.

Provável escalação: Lloris; Pavard, Varane, Umtiti e Hernandez; Kanté, Tolisso e Pogba; Mbappé, Giroud e Griezmann. Técnico: Didier Deschamps.

Retrospecto

Uruguai e França têm, até aqui, sete jogos disputados, com duas vitórias da Celeste Olímpica e apenas uma dos Les Bleus, além de quatro empates zerados. Em copas, ambas as equipes se enfrentaram três vezes, a primeira em 1966, em Londres, na Inglaterra, com vitória dos sul-americanos por 2 x 1. Já os outros dois encontros aconteceram nas edições de 2002 e 2010, na fase de grupos de cada um, e as partidas terminaram em 0 x 0.

Apesar de bons números recentes contra equipes sul-americanas no torneio, a França não marca um gol sequer no Uruguai desde 1985, em amistoso vencido por 2 x 0 em Paris. De lá pra cá, enfrentou vários goleiros uruguaios e passou zerada em todos.

Samuel Lima
"O garoto que gostava de ficar na banheira quando jogava bola na 4ª série cresceu. A partir da 6ª série, passou a elaborar as jogadas, a ter uma melhor visão de jogo, uma melhor visão de mundo. A vida de jogar bola parou há algum tempo, mas a visão de jogo permanece. E é essa mesma visão que ajudará esse jovem de 21 anos a elaborar as ideias relacionadas a esse esporte que está muito além das quatro linhas convencionais de um campo de futebol. Da minha querida Inácio Monteiro para o mundo da bola, com prazer, Samuel!"

Artigos Relacionados