Tito exalta torcida, plantel e destaca provável classificação na Série C

Apoiado por 15 mil torcedores, o Figueirense conseguiu um importante resultado no último final de semana, pela Série C do Campeonato Brasileiro. Diante do São José, o Furacão do Estreito bateu o time catarinense, pelo placar de 3 x 2, no estádio Orlando Scarpelli. Dessa forma, o resultado, encaminhou a classificação do Alvinegro para a próxima fase da competição nacional.

No entanto, o centroavante Tito, titular do time de Junior Rocha nas últimas três partidas, vem sendo fundamental no plantel do time da capital catarinense, que ocupa a terceira colocação do Brasileiro da Série C. A princípio desde que chegou ao Figueira, Tito atuou em quatro oportunidades. Foram três vitórias e um empate.

A atmosfera do Scarpelli foi algo de outro mundo. Tínhamos um jogo muito complicado e a torcida foi nossa força. Estamos bem no Brasileiro, nosso time está evoluindo. Ainda temos muita coisa para conquistar. Nosso principal objetivo é o acesso e estamos todos focados para isso. Nosso elenco está fechado e é um prazer trabalhar com pessoas tão especiais. Desde os funcionários do CT ao treinador, todos estão na mesma sintonia”, disse o camisa 9.

Tito projeta confirmar classificação

A saber que o próximo desafio do Figueirense, na próxima segunda-feira (8), é válido pela penúltima rodada da Série C do Campeonato Brasileiro. Visto que o duelo será diante o Botafogo/PB, fora de casa, no estádio Almeidão.

Precisamos confirmar nossa classificação. Estamos numa situação boa, mas queremos mais. Quanto mais pontuarmos, além de subirmos na classificação, nos dá mais confiança. O Botafogo é um time de qualidade e vamos trabalhar para conseguirmos um bom resultado fora de casa”, finalizou Tito.

Ao passo que o Figueira atualmente ocupa o 3° lugar na tabela de classificação com 29 pontos conquistados em 17 jogos. Por fim, o Figueirense registra sete triunfos, oito empates e duas derrotas com 24 gols feitos e 16 sofridos.

Foto destaque: Patrick Floriani/FFC

Tity Marx
Na verdade, não fui eu que escolhi o jornalismo e sim ele que me escolheu. Sem dúvidas, a profissão é como um oceano que precisa ser desvendado na sua profundeza, só assim é possível conhecer e respeitar toda sua beleza.

Deixe um comentário