Casares

Sabe-se que o São Paulo está próximo de ficar fora da Libertadores na próxima temporada. Afinal, o clube está 14° colocado no Campeonato Brasileiro. Assim, não jogar a competição continental no  ano que vem é ruim em vários aspectos. Contudo, o que mais incomoda a diretoria é o prejuízo financeiro. O intuito do clube ainda é subir na tabela para mudar o atual cenário, o que poderia ajudar a equilibrar as contas.

Nesta terça-feira (9), ocorreu o sorteio dos grupos do Paulistão 2022. Por lá, esteve presente Julio Casares, presidente do clube, que foi alvo de perguntas dos jornalistas. Claro, o cartola foi questionado sobre o quão ruim financeiramente seria ficar de fora da Libertadores para o São Paulo.

“Sim, (ficar fora da Libertadores) traz um prejuízo econômico e também institucional, como legado esportivo”, afirmou Casares.

Prejuízo para o São Paulo ao ficar fora da Libertadores

O São Paulo possui um déficit que gira em torno dos 600 milhões de reais. Por isso, é importante conquistar o acesso à Libertadores, pois o torneio paga uma boa quantia. Além disso, o torcedor ama a competição e lotaria o Morumbi constabtemente, impulsionando o orçamento. De qualquer forma, o clube terá que achar meio de reduzir as dívidas. Assim, vendas devem ocorrer e uma das saídas que devem ocorrer é a de Rodrigo Nestor ao Arsenal.

Por outro lado, Casares também comentou sobre outros tipos de receita que o clube vem adotando. A diretoria tem traçado metas importantes para que a crise seja superada de maneira mais breve possível.

“Mas neste momento temos conseguido avançar com outras receitas, como falei do crescimento do marketing em 50%. O São Paulo tem condições de trazer mais público para o Morumbi. Então temos perspectiva, mas claro que sair de uma competição como essa traz, primeiro, um prejuízo esportivo e financeiro”, disse o presidente.

Foto Destaque: Divulgação/São Paulo

Isaac Rufino
Tenho 19 anos e sou estudante de Jornalismo pela FMU, em São Paulo. Sou apaixonado por Jornalismo e todas as suas áreas, porém a minha preferência sempre foi na área esportiva. Meu primeiro objetivo é ganhar experiência na área, buscar conhecimento e aprender com os melhores, por isso estou aqui. Entretanto, ao falar sobre objetivos futuros, tenho certeza de que a minha maior meta é fazer a cobertura de uma Copa do Mundo. Me considero um cara exigente, obstinado e não me contento em ser apenas mais um. Estou aqui para mostrar a minha capacidade e galgar degraus dentro do Jornalismo.