Ponte Preta perde uma posição com devolução dos pontos ao Brusque. (Foto destaque: Álvaro Jr/ PontePress)

De antemão, notícia urgente em mais um cenário lamentável na luta contra o rebaixamento na Série B do Brasileiro. Do mesmo modo, teve um resultado importante nesta quinta-feira (18). Assim também, o STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) aceitou o recurso do Brusque no caso de racismo contra o atacante Celsinho, do Londrina. A saber, devolveu três pontos ao clube catarinense, que ficou com 44. Ocasionalmente, um a mais que a Ponte Preta.

Por outro lado, a Macaca perdeu uma colocação, caindo para a 15ª. Logo, a decisão no tribunal também altera a combinação necessária para o time ter a chance de eliminar o risco de queda no próximo sábado (20). Bem como, quando enfrenta o Confiança, em Aracaju, a partir das 16h30.

Contudo, o Brusque à frente na tabela, é menos um concorrente para secar. Bem como, as atenções alvinegras agora estarão voltadas para Londrina (17º) e Remo (16º), que, com 41 pontos, jogam nesta sexta-feira (19). Ou seja, contra Vila Nova e Vasco, respectivamente.

Eventualmente, se um deles ao menos empatar, o time campineiro escapa ganhando em Aracaju. Ou seja, esse é a oração da nação Pontepretana!! Tal como, resultado que também decretaria o rebaixamento do Confiança, penúltimo colocado, com 36 pontos, a cinco de deixar a degola.

Nesse ínterim e com esse cenário, a Veterana abriria quatro pontos do primeiro time do Z-4. Vale lembrar, Londrina ou Remo, com apenas mais três em disputa.

Ponte Preta perde uma posição com devolução dos pontos ao Brusque

Em suma, a situação do Vitória, com 40 pontos, não interfere, porque os baianos no máximo poderiam igualar em pontuação (46). No entanto, têm duas vitórias a menos que a Macaca.

Sob o mesmo ponto de vista, depois do Confiança, a Ponte fechará a campanha diante do Coritiba, no Majestoso. Da mesma forma, a partida acontece dia 28 (domingo).

 

Foto destaque: Álvaro Jr/ PontePress

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs