Ponte Preta fechou preparação com treino no CT do Jardim Eulina. (Foto destaque: Diego Almeida/ PontePress)

Inicialmente está tudo decidido para o jogo no Majestoso no próximo domingo (6). Ainda mais que a Ponte Preta enfrenta o Vasco em partida válida pela segunda rodada da Série B. Por outro lado a atividade aconteceu no CT do Jardim Eulina.

Da mesma forma neste sábado (5), o técnico Gilson Kleina fez os ajustes finais no time. Além disso usou o último treino para trabalhar jogadas de bola parada.

Durante a semana, Kleina observou o time sem um homem de referência no ataque, com jogadores mais leves no setor ofensivo, Camilo e Renatinho com liberdade no meio.

Simultaneamente em todos os cenários, Paulo Sérgio provavelmente deixará a equipe, com a entrada de Niltinho entre os titulares. Juntamente com isso mais um que deve ganhar espaço é o volante Léo Naldi.

As dúvidas ficam entre Locatelli e Renatinho (dependendo do desenho tático escolhido) e também na lateral esquerda, com Jean Carlos e Rafael Santos disputando a posição.

Ponte do Ednei falou sobre a partida

Assim também o zagueiro Ednei ressalta que a concentração na partida:

“O Vasco vem de derrota e é clube de muita expressão, de história gigantesca, assim como a Ponte. A gente tem de dar o máximo e  entrar com muita concentração, contra eles e contra todos os demais times que enfrentaremos. O nível é muito igual e a gente não pode dar mole de jeito algum”, alerta.

Da mesma forma o defensor acrescenta que o elenco tem grande confiança no trabalho do técnico Gilson Kleina.

“Novo comando, novo treinador, nova história a ser escrita. E para ser uma história bonita vai depender de a gente fazer o que o treinador está passando. O Gilson é um cara que conhece bem o clube e esperamos que ele possa dar um bom padrão ao time e que a gente consiga assimilar as ideias dele”, diz.

Juntamente com isso o atleta acrescenta que será necessária atenção de toda a equipe na marcação. Do mesmo modo comenta  sobre o  tempo que ficou afastado do time, em virtude de lesão.

“Foi a primeira vez que passei um período mais longo assim parado. É uma situação muito ruim, que nenhum jogador gostaria de passar. É complicado ver os companheiros sofrendo, você querer ajudar e não poder. Sofri igual a todos e espero que, a partir de agora, eu possa dar tudo para ajudar a equipe”, conclui.

Foto destaque: Diego Almeida/ PontePress

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs

Deixe uma resposta