Ponte Preta busca manter tabu histórico diante do Confiança. (Foto destaque: PontePress/ÁlvaroJr)

Em primeiro lugar, a Ponte Preta tem mais uma decisão no próximo sábado (20), quando enfrenta o Confiança, penúltimo colocado com 36 pontos no Batistão, em Aracaju. Assim como, o Dragão nunca saiu vitorioso no retrospecto entre as equipes e é a hora do time manter esse tabu histórico.

Por outro lado, vale lembrar do jogo válido pela 18ª rodada no Moisés Lucarelli, em Campinas. Do mesmo modo, a Macaca saiu vitoriosa no placar de 4×2 com gols marcados por Fessin, que fez dois tentos, Moisés e João Veras. Confira.

Bem como, a Alvinegra se mantém focada na conquista desses dois objetivos diante do adversário. Ainda mais que, ao entrar em campo não só estará lutando para assegurar sua permanência na Série B. Como também, buscará manter um tabu histórico envolvendo o retrospecto entre ambos.

Assim, o histórico entre Ponte Preta Confiança chega após a realização de cinco partidas, três pela segunda divisão nacional e duas na elite brasileira. Além disso, dentre as cinco ocasiões, o clube sergipano nunca venceu diante da Alvinegra. Ou seja, com as suas melhores chances de quebrar tal marca se apresentando em três duelos, nos quais sofreu o revés somente por um gol de diferença no placar.

Ponte Preta busca manter tabu histórico diante do Confiança

De maneira que, a diferença entre as equipes no contexto histórico do duelo não para por aí. Analogamente,  o clube campineiro também domina no quesito de gols marcados.

Juntamente com isso, enquanto o Dragão só balançou a rede adversária em cinco oportunidades, a Macaca já marcou 13 vezes. Vale lembrar, entre os resultados, o mais elástico foi consolidado na primeira partida entre ambos, válida pelo Brasileirão de 1977, na qual a Alvinegra venceu por 3×0.

Nesse ínterim, as diferenças presentes no retrospecto entre ambas as equipes pode ser explicado pelo número de disputas. Por outro lado, perdurou por 42 anos. Após se enfrentarem pela segunda vez no Brasileirão de 1978, os dois times voltaram a disputar três pontos somente no ano de 2020, em duelos válidos pela Série B.

 

Foto destaque: PontePress/ÁlvaroJr

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs

Deixe um comentário