Na próxima quarta-feira (24), terá início a 107ª edição do Campeonato Pernambucano trazendo o trio de ferro de Recife como os naturais favoritos ao título. No entanto, forças do interior e um rival da capital almejam atrapalhar a festa dos grandes, como aconteceu em 2020, quando o Salgueiro foi campeão em pleno Arruda.

Assim, ao longo de sua história, o maior vencedor é o Sport com 42 títulos, em seguida aparecem Santa Cruz com 29 e Náutico com 22.

Para esta temporada, a fórmula que deu certo no último ano será mantida. Logo, a competição conta com uma primeira fase com 10 clubes em turno único, onde os seis primeiros avançam de fase, sendo os dois melhores para a semifinal e os demais para as quartas de final.

Enquanto que os quatro piores da primeira fase disputam o quadrangular do rebaixamento para definir dois clubes que jogarão a Série A2. Assim, além do atual campeão e dos três grandes, disputam também AfogadosRetrôCentralVitóriaVera Cruz e Sete de Setembro.

CORREM POR FORA NO PERNAMBUCANO

RETRÔ: JOVEM EQUIPE DE MUITO INVESTIMENTO NO PERNAMBUCANO

O Retrô Futebol Clube Brasil surgiu em 2016, sediado em Aldeia, no município de Camaragibe. Desde o início, a Fênix conta com altos investimentos em estrutura e na formação e revelação de jogadores oriundos da base. Assim, o clube tem dois CT's do mais alto nível, no qual foi feito um investimento milionário. As maiores conquistas do clube aconteceram com suas categorias inferiores.

A princípio, a equipe profissional ainda não conquistou títulos, no mais, seus maiores feitos foi o vice-campeonato da A2 do Pernambucano em 2019, o que lhe deu a vaga na elite em 2020. Em seguida, a 5ª colocação nesse mesmo Pernambucano de 2020, lhe concedeu uma vaga na Série D de 2021.

De antemão, a base do elenco profissional conta com nove remanescentes do ano passado. Ainda mais, outros nove jogadores oriundos da base foram promovidos ao elenco principal. Por fim, 17 novos atletas foram contratados para integrar o projeto da Fênix. Dentre eles, destaque para as chegadas de Diego Silva, ex-Náutico, Thallyson, ex-Sport, e Mayco Félix e Lucas Gonçalves, ex-Santa Cruz.

Para a nova temporada, um novo comandante. Nilson Correia chega como o novo treinador. Nessa pré-temporada, o Retrô fez dois amistosos com o ABC, e empatou em ambos os jogos. 1 x 1 em Natal, e 0 x 0 em Aldeia.

AFOGADOS: A CORUJA DO SERTÃO QUER VOÔS MAIS ALTOS

O Afogados da Ingazeira Futebol Clube, é o representante do sertão do Pajeú. Fundado em 2013, é mais um jovem clube na elite do Futebol Pernambucano. Contudo, a Coruja já conta com boas histórias para contar. Na temporada passada, o clube ganhou notoriedade após eliminar o Atlético-MG na Copa do Brasil. Além disso, o clube disputou a Série D, não passando da primeira fase, e no último Pernambucano ficou nas semi-finais.

Para 2021, o elenco sofreu uma reformulação muito grande. De titular, apenas Heverton Luiz permanece no elenco. No mais, várias contratações. Destaques para Cal Rodrigues, atleta oriundo da base do Náutico, e Índio, que surgiu no Sport. Para o comando, Sérgio China é o novo treinador da Coruja. Antes da temporada começar, o Afogados fez um jogo pela Taça Aderval Viana, e venceu o São Paulo Crystal – PB, pelo placar de 2 x 1.

SALGUEIRO: EM BUSCA DE DEFENDER SEU TÍTULO

O Salgueiro Atlético Clube é um tradicional clube do sertão pernambucano. Fundado em 1972, mas que profissionalmente só a partir de 2004. O Carcará desde o início do século, se tornou em um clube recorrente na elite do futebol local, além disso, é figura quase que constante em competições nacionais.

Além disso, o clube sertanejo na última edição, conquistou uma façanha até então inédita. Foi o primeiro clube do interior do Estado campeão da Série A1. 

Por fim, o Tricolor Sertanejo pretende defender sua coroa em 2021. Para isso, o clube renovou com o treinador português Daniel Neri, além das contratações de Héricles, que já atuou no Santa Cruz e Retrô, e Cássio Ortega, velho conhecido do torcedor salguirense.

Contudo, no início do mês, o Carcará alegou dificuldades financeiras, e que iria abrir mão da Copa do Brasil  e Copa do Nordeste. Embora, após a repercussão do caso, a diretoria recuou e confirmou que irá participar de ambas competições.

Foto Destaque: Divulgação / FPF-PE

Ayrton Niño
Ayrton Niño
Historiador pela UFPE e graduando em Jornalismo pela UniNassau.

Deixe uma resposta