Opinião: por que Kanté e não Casemiro como melhor volante de 2017-18?

Na última terça-feira (24), o prêmio FIFA The Best consagrou os melhores atletas do planeta. também ergueu seu sexto troféu de melhor jogadora do mundo, vencendo as tricampeãs da UEFA Champions League Feminina. A FIFA premiou também Didier Deschamps, após o título mundial, como melhor técnico e anunciou os 11 melhores da temporada, como de costume. Sem dúvidas, o time anunciado é excepcional. Mas nem mencionar Casemiro do Real Madrid, tão importante nas últimas duas conquistas, é um absurdo?

(Reprodução/CHRISTOF STACHE/AFP/Getty Images)

O volante se tornou peça fundamental no Real Madrid com a chegada de . O francês não via em James Rodríguez algo que o fizesse mudar de ideia para recuar Luka Kroos. Portanto, quem ficou de fora foi o colombiano, dando lugar ao volante brasileiro, que, segundo o ex-treinador, é quem faz o trabalho sujo. Mas se fazem praticamente o mesmo papel, qual a distância para o baixinho francês?

Kanté na Seleção do Mundo da FIFA The Best. (Reprodução/Fifa)

Kanté consegue, simplesmente, ser excepcional. Ainda nas eliminatórias, a importância do francês já era nítida. Dos dez jogos disputados na fase de classificação, ele jogou 397 minutos, onde a França tomava 0.40/gol por jogo. Sem o baixinho em campo, os outros 503 minutos eram perigosos para Les Bleus, onde a taxa era de 0.96/gol por jogo. Chegando na Copa, nem quiseram correr esse risco, contando com o gigante de 1,69 em todas as partidas, até mesmo na final com uma suposta dor de barriga. Apesar da baixa estatura, o ex-Caen abusa da sua velocidade e da sua força bruta para conquistar seu espaço.

Junto de Varane, foram os únicos que jogaram os 540 minutos da França na Copa do Mundo inteira, deixando o volante como líder em passes, toques e recuperações de bola. Dentro dos 90 minutos, roubava oito bolas, sendo apenas o décimo no ranking da Copa. Além de ter 2.3 interceptações por jogo, atrás de Ndidi (Nigéria), Torreira (Uruguai) e Zobnin (Rússia). “Mas qual a importância disso?”. Os três à frente do francês jogam em times defensivos, com menos posse de bola média que a França (51%). Além disso, atuações nítidas, como contra a Argentina na Copa do Mundo, onde o atleta não deixou Messi jogar, anularam qualquer chance dos hermanos de se classificarem.

Kanté não deu sossego ao argentino nas oitavas de final do Mundial (Reprodução/Heightline)

Kanté faz tudo do seu jeito. De uma personalidade tão simples, tão humilde e envergonhada, o ex-Leicester aplica isso em campo também. Muito fora criticado a escolha do croata para a bola de ouro, alegando que o mesmo havia feito poucos gols na temporada. Quando aprendermos que, gol é um detalhe do jogo, entenderemos por quê Modric venceu. Entenderemos a importância de Kanté no meio-campo, no sistema defensivo, seja de quem defender. Casos como Busquets Allan, que não aparecem tanto para marcar, mas dão a sustentação necessária para o time na defesa.

Pode não ser um gigante, mas o papel desenvolvido pelo mesmo se destaca em meio a tantos “Fellainis” no futebol mundial.

Mathias Galdi
Andreense, nascido e criado na única cidade do ABC representada por um campeão da Copa do Brasil. Tenho 19 anos, faço graduação em Jornalismo, o que era mais certo na minha vida do que qualquer outra coisa. Naquelas atividades bobas da escola, eu já me saia bem, ou seja, era eu quem passava vergonha pra sala toda. Brincadeiras á parte, a comunicação sempre esteve presente em mim, principalmente na área dos esportes, onde atuo hoje. Sou apaixonado pelo esporte, seja qual for. Amante da tática e da estratégia.

Artigos Relacionados