É verdade que o Vasco da Gama não está tendo vida fácil na Série B. Antes de mais nada, o Cruzmaltino não deu liga e está cada vez mais distante do G4. Turbulências que culminaram em trocas no comando técnico atrapalharam o desenvolvimento da equipe dentro do torneio. Marcelo Cabo e Lisca já ocuparam o posto que hoje pertence a Fernando Diniz. A campanha medíocre minou qualquer possibilidade de trabalhar em um ambiente tranquilo até o desfecho da temporada. Em síntese, o que trouxe o Vasco até aqui e quais os principais problemas do clube?

O início da caminhada com Cabo

A princípio, Marcelo Cabo obteve bons resultados. Contudo, foi incapaz de definir um padrão de jogo consistente. Mudou o esquema tático após a derrota para o Avaí (0 x 2) e só voltou para o 4-2-3-1 quando estava desesperado. O Vasco demitiu o treinador alegando crise de desempenho. A equipe estava na 8ª colocação, apenas a 2 pontos do 4º colocado – na época o CRB. Por outro lado, o futebol empobreceu e o Cruzmaltino não dava sinais de melhora a curto prazo. Com Cabo no comando foram 5 vitórias, 3 empates e 4 derrotas. Ou seja, 18 pontos somados.

Lisca pede o boné e deixa o Vasco

Lisca manteve o 4-2-3-1. Considero isso um erro tático que tem grande parcela de responsabilidade na situação atual do Vasco. O esquema não deu equilíbrio ao time e a oscilação virou uma constante em São Januário. A estreia com goleada diante do Guarani (4 x 1) inflamou a torcida. As expectativas eram altas, visto que ele foi personagem decisivo na subida do América Mineiro ano passado. Coincidentemente, Lisca também completou 12 partidas no comando do Cruzmaltino. Todavia, o trabalho não fluiu. Foram apenas 13 pontos. 4 vitórias, 1 empate e 7 derrotas.

Um novo ciclo com Fernando Diniz

Diniz ainda não perdeu. Venceu três jogos (Brusque, Goiás e Confiança) e empatou dois (CRB e Cruzeiro). Porém, foi insuficiente para posicionar o Cruzmaltino entre os quatro melhores da Série B. Nesse sentido, a pressão por uma sequência positiva só aumenta. O Vasco precisa tirar uma diferença de 5 pontos para o Goiás, em 10 jogos. Enfim, é possível. Caso contrário, pela primeira vez na história o Vasco não conseguirá o acesso à primeira divisão. Acredito que Fernando Diniz possa melhorar o rendimento vascaíno. A ver.

Foto destaque: Divulgação / Elo7

André Filipe
Apaixonado pela dimensão histórica do futebol e pela ciência da bola. Gremista desde a Batalha dos Aflitos para o que der e vier. Sinto na escrita o calor latente das minhas paixões profissionais. Historiador, jornalista esportivo e jogador de pôquer nas horas vagas.