Náutico x Botafogo como aconteceu – Resultado, destaques e reação

Antes de mais nada, Náutico x Botafogo se enfrentaram no Estádio dos Aflitos neste último domingo (20). Então, o confronto foi válido pela 5ª rodada do Campeonato Brasileiro Série B. Assim, em um jogo controverso, o Timbu acabou por superar o Glorioso por 3 x 1, em um jogo que o clube pernambucano pareceu ter o controle durante a maior parte do tempo.

Assista aos melhores momentos de Náutico x Botafogo

1º Tempo: Náutico abre o placar em gol polêmico

Em suma, o jogo começou bem morno, com as duas equipes se estudando bastante. Contudo, aos sete minutos, uma falta a favor do Náutico ocasionou uma grande confusão no gramado. Warley acertou o rosto de Jean Carlos, e como resultado, o lateral do Alvinegro levou o cartão amarelo. Contudo, jogadores e comissão técnica do Timbu queriam a expulsão, e passaram a reclamar muito. Assim, sobrou um cartão amarelo para Vinicius e dois amarelos para o técnico Hélio dos Anjos, que acabou por resultar na sua expulsão. Todavia, o treinador foi apenas para a arquibancada e continuou participando da partida.

Logo em seguida, aos 15′, o juiz marcou escanteio inexistente a favor do Náutico, já que a bola não desviou em nenhum jogador do Botafogo. Então, na cobrança de Jean Carlos, a bola desviou em dois jogadores do Glorioso, Rafael Navarro e Pedro Castro, respectivamente, e foi morrer no fundo do gol. Após isso, nenhum dos dois times conseguiram produzir muito na primeira etapa. Assim, o destaque acabou por ser a “torcida” formada por diretores e convidados do Timbu, que teve direito até a comes e bebes. Aos 43′, o juiz interrompeu a partida para advertir os “torcedores”.

2º Tempo: O jogo melhora

A etapa complementar já começou com substituições por parte do Botafogo. Assim, saíram Warley e Chay para entrar Daniel Borges e Diego Gonçalves. E as mudanças surtiram efeito, já que aos 10 minutos, após cobrança de escanteio, o zagueiro Gilvan chutou para o gol e Pedro Castro desviou. Contudo, o goleiro do Náutico, Alex Alves, acabou por defender, e a bola sobrou nos pés do volante botafoguense, que perdeu o gol mais uma vez, graças ao goleiro do Timbu. Decerto, 11 minutos depois, PV cometeu pênalti em Erick, que foi desperdiçado por Kieza, graças a boa defesa de Douglas Borges.

A defesa do goleiro do Alvinegro, aliada as substituições feitas por Marcelo Chamusca, deram um gás ao clube carioca, que passou a controlar as ações. E foi recompensado aos 29′, já que o Timbu falhou na saída de bola e Felipe Ferreira não perdoou, 1 x 1. O Botafogo continuou em cima para virar a partida, contudo, aos 42′, PV cometeu outro pênalti, desta vez, em Hereda. Todavia, a história desta cobrança foi diferente da primeira, e Jean Carlos voltou a deixar o Náutico em vantagem. Já no último lance do jogo, o goleiro Alex Alves fez um grande lançamento no ataque para Paiva. Com a defesa desmontada, o atacante só precisou mandar a bomba. Assim o fez, e fechou o placar, 3 x 1.

Náutico x Botafogo – E agora?

Em suma, as coisas não poderiam estar melhores para o Náutico. Assim, com a vitória, o clube pernambucano mantém o 100% de aproveitamento na Série B. Na liderança com 15 pontos em 5 jogos, o Timbu também não perde em casa a 21 partidas. Contudo, o próximo desafio é fora de casa, contra o Londrina, no Estádio do Café. Então, a partida acontecerá na próxima quarta-feira (23), a partir das 16h (horário de Brasília).

Por outro lado, o Botafogo não está nem um pouco satisfeito com esta derrota. O clube carioca ocupa atualmente a 4ª posição, contudo, ainda podendo ser ultrapassado nesta rodada, em caso de vitória do Coritiba. Assim, podendo acabar a rodada fora da zona de acesso para a Série A. Todavia, a notícia boa para o Glorioso é de que o clube não joga no meio da semana, já que sua partida contra o CSA foi adiada devido a ocupação de seu estádio para a Copa América. Então, o Botafogo só volta à campo no sábado (26), contra o Sampaio Corrêa, pela 7ª rodada. O duelo será em São Luis, no Maranhão, e a bola deve rolar a partir das 16h30 (horário de Brasília).

Foto Destaque: Divulgação/Tiago Caldas/Náutico

João Victor Freire
Alagoano, porém criado no Rio De Janeiro. 21 anos. Tenho pra mim que o Jornalismo é uma das profissões mais belas que existem, e é o que eu sei e gosto de fazer desde pequeno. E aliado a isso, tenho uma paixão por esportes.