Não pode, Ponte Preta

Inicialmente, nesta terça-feira (2), a Ponte Preta viajou a Goiânia para enfrentar o Goiás, no Estádio da Serrinha. Do mesmo modo, os times viviam situações totalmente opostas. Simultaneamente, após o apito final a mensagem é: Não pode, PONTE PRETA.

Eventualmente, pressionada por resultados dos concorrentes na luta contra o rebaixamento, a Macaca abriu 2 x 0 no primeiro tempo com gols de Fábio Sanches e Léo Naldi. Da mesma forma, poderia ampliar, mas o time recuou e na etapa final.

Do mesmo modo, o Goiás voltou com Alef Manga e Fellipe Bastos no time, mas demorou até conseguir pressionar a Ponte. Assim como, somente a partir dos 20 minutos o time da casa conseguiu pressionar. Simultaneamente, o gol saiu aos 26 minutos, logo após Nicolas acertar a trave em finalização de cabeça. Tal como, na cobrança do escanteio, o próprio Nicolas desviou e Dadá Belmonte, outro que entrara no segundo tempo, apenas empurrou para o fundo das redes já quase em cima da linha: 2 x 1.

Por outro lado, pelo lado da Ponte, o técnico Gilson Kleina fez suas alterações, no entanto, a Macaca não conseguiu ficar no campo de ataque. De tanto insistir, o Verdão chegou ao empate. Ou seja, aos 43 minutos, Alef Manga marcou de cabeça e deixou tudo igual: 2 x 2.

Tal como, mais uma noite o torcedor pontepretano vai dormir preocupado.

Não pode, Ponte Preta

Em conclusão, a Ponte chega aos 39 pontos e permanece em 13º lugar. Da mesma forma, a próxima decisão está marcada no próximo domingo (7) diante do CRB, no Moisés Lucarelli.

 

 

 

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs