Moisés. (Foto destaque: Diego Almeida/ PontePress)

Desde já, a tarde no próximo sábado (16), será muito especial. Tal como Ponte Preta x Náutico se enfrentam, às 16h, em casa. Ainda mais que será a volta de um jogo com público após 583 dias. Além disso, promete ser muito especial para o atacante Moisés. Por outro lado o goleador terá a chance de balançar as redes frente à torcida alvinegra.

A saber pontuou sobre toda a tristeza e dificuldades geradas pelo Covid, e reforçou o longo tempo (mais de um ano), sem torcida.

“Isso nos atrapalhou muito, eles são nosso 12º jogador e nos ajudam demais. Vamos buscar a vitória junto com esse torcedor que vai nos apoiar, que vai ser nosso combustível não só para esse jogo, mas para continuarmos subindo na tabela no restante da competição”.

Juntamente com isso, essa é a expectativa do camisa 21:

“Nos últimos jogos não marquei, mas venho ajudando meus companheiros de outras formas e fazendo assistências também. Mas atacante ficar sem fazer gol é triste, então que no sábado eu possa ser feliz e balançar as redes.  Oportunidades virão e os gols com eles”.

Moisés

Segundo o atleta será um confronto complicado, no entanto a Macaca tem toda condição de manter a invencibilidade.

 “É um jogo difícil, temos que respeitar o Náutico, que está num momento bom, mas não podemos deixar de nos impor, colocar nosso jogo em prática para sairmos vitoriosos. Temos que fazer valer o mando de campo, que é muito importante, e a torcida vai nos dar um gás a mais contra o adversário. Temos que manter foco e a tranquilidade, para que possamos buscar a vitória, que é fundamental para gente”.

Ocasionalmente, o atacante acredita que o intervalo de dez dias entre partidas deve se mostrar favorável ao time. Do mesmo modo o grupo todo está ciente da melhora do time. De maneira que Kleina está ajudando e preparando cada vez mais para possibilitar ter um gás a mais.

Afinal, o atleta finaliza destacando que o grupo tem consciência da necessidade da vitória.

“Nosso conjunto é bom, todos se cobram para dar o melhor. Temos que chamar a responsabilidade pra nós, pro nosso grupo, que é muito bom, são pessoas do bem, e vamos nos cobrar sempre para fazer um jogo e vencer”.

 

Foto: DiegoAlmeida /PontePress

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs

Deixe um comentário