Mário Sérgio projeta sequência de dois jogos fora de casa do Ituano

Um dos jogadores remanescentes do campeonato paulista, o lateral-esquerdo Mário Sérgio poderá retornar à equipe titular. A princípio, isso poderá acontecer na partida contra o CSA. A saber, que será disputada às 20h30 (horário de Brasília), no sábado (30), no estádio Rei Pelé. Bem como é válida pela 21ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

No entanto, presente em 13 dos 20 jogos do Ituano na competição, Mário Sérgio será uma das opções da comissão técnica para a montagem da equipe que enfrentará a equipe alagoana. Dessa maneira, o lateral falou sobre a oportunidade. Ao passo que garantiu empenho, afim de ajudar o time.

Estou sempre preparado para entrar e fazer o meu melhor em prol do Ituano. Temos um grupo bastante qualificado e quem estiver jogando, com certeza, dará conta do recado”, destacou Mário Sérgio, que possui a terceira melhor média da equipe na competição segundo o site SofaScore.

Mário Sérgio fala sobre os desafios fora de casa

Ocupando a 13ª colocação na Série B do Campeonato Brasileiro, com 23 pontos, o Ituano quer somar pontos fora de casa para se distanciar da parte de baixo da tabela. A saber, possui apenas três pontos a mais que o Azulão, primeira equipe na temida zona de rebaixamento. Para isso, terá que buscar bons resultados contra CSA e Vila Nova, atuando fora de Itu, nas próximas duas rodadas.

Sabemos das dificuldades desses dois jogos longe de casa, mas temos totais condições de chegar lá e conquistar bons resultados. Nossa equipe já venceu jogos difíceis fora de casa na competição e vamos lutar para repetir essas performances”, finalizou o jogador, que conquistou o título da Série C em 2021 e o Troféu Interior Paulista nesta temporada pelo Ituano.

Aos 28 anos de idade, Mário Sérgio acumula 36 jogos com a camisa do Galo. Além disso, o jogador, que também tem passagens por equipes como Goiás e Guarani, está na sua segunda temporada defendendo as cores do Ituano.

Foto destaque: Marlon Costa

Tity Marx
Na verdade, não fui eu que escolhi o jornalismo e sim ele que me escolheu. Sem dúvidas, a profissão é como um oceano que precisa ser desvendado na sua profundeza, só assim é possível conhecer e respeitar toda sua beleza.