Vasco

As dívidas trabalhistas do Vasco segue criando polêmicas. Antes de tudo, a decisão veio do Theocrito Borges dos Santos Filho, desembargador regional do TRT-1, que manteve o (REEF) Regime Especial de Execução Forçada, para cobrar a dívida com ex-funcionários do Cruz-Maltino.

Entretanto, depois da desembargadora Edith Maria Corrêa, presidente do TRT, reconhecer uma possibilidade criada pela lei clube-empresa no Brasil. Sobretudo, a lei diz que o clube de São Januário poderia ajustar a execução de todas as suas dívidas trabalhistas. Na ocasião, deu 60 dias para o Vasco apresentar um plano de pagamento e manteve o REEF.

Com isso, esta foi a sequência da exclusão do Vasco do Ato Trabalhista, que permitia ao clube o Plano Especial de Pagamento Trabalhista (PEPT). Logo, um dia após a execução sofrida, o Clube de Regatas Vasco da Gama comunicou em uma nota oficial o encerramento das atividades:

“A surpreendente decisão do juiz gestor da CAEX, Dr. Fernando Reis de Abreu, inviabiliza completamente o funcionamento do Vasco e o cumprimento de suas obrigações mais básicas, além de impor a liquidação de ativos operacionais do clube”.

Depois disso, a diretoria completou a nota lembrando de sua importância no âmbito futebolístico brasileiro.

“Na prática, a decisão, de forma absolutamente açodada, pretende decretar o encerramento das atividades de um clube que tem a 5ª maior torcida do país. Decerto, aquele que dispõe de todas as condições necessárias para reverter o atual estado de crise econômico-financeira”.

Portanto, a cobrança de R$ 93,5 milhões segue valendo. Dessa forma, continuam bloqueadas várias fontes de receita do Vasco. De fato, são elas: direitos de transmissões do Grupo Globo e TV Record, receita do Sócio Torcedor, Patrocínios, Fornecedores, além dos lucros recebidos na Vasco TV.

Foto Destaque: Divulgação/Vasco da Gama/VascoTV

Vinicius Gobi
Prazer! Meu nome é Vinícius Gobi e sou apaixonado por esportes desde que me conheço por gente. Para mim, é impossível ficar um dia sem comentar/conversar ou usar o produto futebol. Essa é a minha paixão e tenho certeza que é disso que quero trabalhar, com o que eu amo. Atualmente tenho uma página com alguns amigos meu no Instagram, @debate.fcs nela fazemos análises, postamos informações e coberturas de jogos do Brasileirão Feminino A1, credenciados. O meu maior objetivo, é adquirir experiência para sempre evoluir na comunicação. Com o intuito de estar preparado a qualquer oportunidade.