Grêmio tem interesse em Paulinho e Renato Augusto

Antes de mais nada, na manhã dessa dessa segunda-feira (12), surgiram alguns boatos em que o Grêmio tem interesse em Paulinho, que está livre no mercado da bola. Além disso, Felipão também estaria interessado em Renato Augusto.

Sobretudo, Paulinho, que teve destaque no Barcelona, também recebeu algumas consultas do Corinthians, Red Bull Bragantino e Fluminense. Porém, em entrevista à Rádio Gaúcha, o jogador não negou o rumor e ainda elogio o técnico gaúcho.

“Ele (Scolari) é uma pessoa por quem eu tenho um grande respeito e admiração. No futebol, a gente nunca pode prever ou programar algumas coisas, porque acontecem de forma diferente. Mas, se aparecer uma coisa concreta para trabalhar com o professor Felipão, se eu ver que é um desafio bacana e um projeto bacana, por que não pensar?”, disse.

OUTROS INTERESSES DO GRÊMIO

Além do meia, existe outro nome que também foi destaque na seleção de Tite e que esteve em pauta no Tricolor, Renato Augusto. Porém, com apuração do GE.com, o Corinthians está forte na disputa e agradou o jogador, que inclusive já estaria buscando apartamentos em SP. O Flamengo realizou uma tentativa, mas não conseguiu avançar na negociação e, ao que tudo indica, desistiu do contrato.

Nesse ínterim, seu staff ainda busca a rescisão com o Beijing, que não está sendo fácil. São cinco meses de salários atrasados e sem poder entrar no país. Dessa forma, o atleta deseja o desligamento do clube. Sobre o retorno ao Brasil, Renato não esconde que deseja voltar a atuar no seu país.

Por fim, em coletiva recente, o técnico gremista informou que deseja recuperar Jean Pyerre. Da mesma forma, o Grêmio quer contratar um novo camisa 10 e já tem outros nomes, como o de Giuliano. O meia já atuou no time e também está livre no mercado.

Foto destaque: Reprodução/Vanderlei Almeida/AFP

Emilena Gonçalves
Prazer, Emilena Gonçalves! Estudante de jornalismo, gaúcha, gremista, Neymarzete e amante do futebol. Me apaixonei pelo futebol na copa de 2002 e por crescer em uma família que só acompanhava Copa do Mundo, precisei começar a frequentar os estádios sozinha, aos 14 anos. A vontade de fazer jornalismo começou aos 12 anos, e nada melhor do que unir duas paixões.