A princípio, o principal objetivo dentro de um jogo de futebol é a vitória. Seja ela como for. Porém, é inegável que algumas marcam mais do que outras. Um dos elementos que mais abrilhantam uma glória é o gol crucial sendo marcado nos últimos minutos. Onde tudo parece perdido, o jogador supera todas as adversidades, marca no fim e entra pra história do clube. Contudo, nem sempre quando esse cenário acontece termina em vitória. Pelo contrário, as vezes acaba uma derrota, mas que também pode se tornar histórica. Foi assim na quartas de final da Libertadores de 2010 para o Inter de Giuliano.

Há 10 anos, o Inter encarou o Estudiantes de La Plata. Na partida de ida, o time gaúcho venceu em casa por 1 x 0. Na Argentina, com dois gols sofridos em dois minutos, estava sendo eliminado até os 43 minutos da etapa complementar pelo saldo de gols.

Nas arquibancadas, a torcida argentina cantava e fazia a festa com a então classificação a próxima fase daquela edição. Os Pincharratas, como são chamados os torcedores do Estudiantes, já acendiam sinalizadores e foguetes. Com isso, cobriram com fumaça o seu campo de defesa. Foi quando surgiu Giuliano, o “Talismã Colorado“, das sombras para a história do Internacional.

GIULIANO, O TALISMÃ

O jovem meia-atacante, que ficou marcado por entrar ao decorrer das partidas e decidir naquela Libertadores, fez o gol da classificação em La Plata. Assim como nas quartas, Giuliano foi de suma importância na trajetória vencedora do Internacional. Ele marcou contra o São Paulo, na semi-final, no Beira-Rio. Fez também dois na final, contra o Chivas Guadalajara, do México.

Definitivamente, essas atuações fizeram com que o jogador caísse na graça dos colorados. Apesar disso, Giuliano se transferiu para o arquirrival Grêmio, na temporada de 2014. Então, de forma óbvia, acabou se tornando um dos grandes desafetos da torcida vermelha nos últimos anos.

CAMPANHA DO INTER NA LIBERTADORES DE 2010

Foto Destaque: Divulgação/SC Internacional

Paulo Sérgio Nunes
Paulo Sérgio Nunes
Carrego comigo a paixão pelo futebol passada pelo meu avô. Tenho 20 anos, curso Ciências da Comunicação na Universidade do Porto, em Portugal, e sou apaixonado pelo Jornalismo Esportivo desde criança. Amante de todos os tipos de futebol, seja ele em torneios amadores ou na Copa do Mundo. Acredito que a magia do esporte está na paixão de quem o joga. Admirador da causa do futebol feminino no Brasil e no mundo. Contato no Instagram: @paulosnns

Artigos Relacionados