Gerson Gusmão relembra triunfos no Operário e fala sobre segredos para longevidade no cargo

- O treinador comandou o time de Ponta Grossa durante mais de quatro anos
Gerson Gusmão com as taças da Serie C e D em mãos

A grande rotatividade dos cargos de treinadores é algo que sempre chama a atenção negativamente no futebol brasileiro. Entretanto, alguns casos mostraram e mostram a possibilidade de desenvolvimento de grandes trabalhos quando há tempo para o crescimento. E Gerson Gusmão foi um desses casos de muito tempo em um clube tupiniquim.

Renato Gaúcho comanda o Grêmio desde setembro de 2016 e atualmente é o mais longevo do futebol brasileiro. Gerson permaneceu no comando do Operário por quatro anos e seis meses. Acumulando 168 jogos, 86 vitórias, 45 empates e 37 derrotas. O treinador acabou deixando o comando do clube durante a Série B de 2020, após derrota para o Cruzeiro.

Taças e acessos no currículo

O técnico e sua comissão conquistaram no Operário o título da Taça FPF Sub-23 em 2016 e vaga para disputar a Série D, o acesso à Série C e o título da Série D em 2017, título da Segunda Divisão Paranaense e acesso à Série B do Brasileiro, com o título da Série C. O treinador relembrou os momentos com a equipe.

“Todas as conquistas foram muito especiais, mas pra apontar, acho que os dois acessos com título da Série C e D foram marcantes, porque acho que projetou o clube no cenário nacional”

Gerson Gusmão falou também sobre o processo de desenvolvimento do trabalho e o que acredita que foi importante para a manutenção do projeto por um grande período, fugindo do padrão no futebol brasileiro.

“Os desafios de ser mais longevo acho que foram os resultados, é inevitável, infelizmente ninguém permanece mesmo com um bom trabalho mas sem resultados. Então a gente conseguiu conciliar isso, fazer boas campanhas, com ataques positivos e boas campanhas. Sem dúvida as conquistas te projetam, colocam num cenário diferente, é aquilo o que todos os clubes buscam. Então foi muito importante fazer esse trabalho longo no Operário, tanto pro clube quanto pra mim”.

Foto Destaque: Divulgação/José Tramontin/OFEC

Guilherme Ribeiro
Guilherme Ribeiro
Sou Guilherme Ribeiro, 20, paulista da região do ABC. Ler e escrever é um hobby, para o esporte que é a minha paixão.

Artigos Relacionados

Topo