Mouche

De antemão, no meio da crise que o Colo-Colo viveu no traumático último campeonato, Pablo Mouche bateu na mesa e criticou duramente a atitude dos jovens valores daquele plantel.

“Agora os rapazes dão uma conferência num momento difícil, mas depois ter um carro caro, o telemóvel mais caro, comprar o último modelo de roupa ou ter um contrato com marcas importantes, eles não são tão jovens. Quando é que vais sair da tua concha? Se quiser jogar em Colo-Colo, assuma o comando. Porque pedir o iPhone, o apartamento ou o espólio de Cristiano Ronaldo, não faz mal. A verdade é que os felicito e estou muito feliz”, reconhece o jogador do Sud America, em entrevista ao AS, recorda esse momento e aborda o novo estatuto dos jovens do Cacique.

Dessa forma, o atacante falou ainda mais sobre os jovens colocolinos e ainda citou o artilheiro Ivan Morales. Portanto, saiba o que disse o jogador durante entrevista:

Agora o panorama é diferente e vários jovens jogadores são protagonistas do Colo-Colo, a que atribui esta mudança?

“A mudança de chip, a mudança de pensamento. Os jogadores mais velhos não estavam tão errados quando tentámos aconselhar os mais novos. Não é porque pensamos que sabemos tudo ou que somos os pais ou que somos nós que castigamos. Falamos com eles porque já vivemos essa experiência, porque fomos desafiados nessa altura e eles fizeram-nos entrar no caminho certo para não cometer erros, para sermos capazes de explodir e de nos concentrarmos apenas em jogar futebol.”

O caso mais emblemático é Iván Morales, o que pensa do seu surgimento?

“Ele tem qualidades tremendas. Todos sabiam que ele os tinha e ninguém discutia sobre eles. Hoje o mostra no campo, que é onde tem de o mostrar, onde sabe como o mostrar. Graças a Deus ele foi capaz de entrar no caminho certo, fazer as coisas bem e pensar em jogar, que este é o seu trabalho. É a sua carreira que ele tem de transformar. Agora os frutos estão lá e ele estava mesmo na equipa nacional. A verdade é que estou muito feliz por ele, porque é um daqueles jogadores que podem se salvar. Compreendem que podem, que são capazes de alcançar tudo o que estão a alcançar”, finalizou.

Foto destaque: Reprodução/Felipe Zanca/AS

Caio Santos