Coritiba mantém marca própria e torcida vai eleger o novo nome

De antemão, o Coritiba abriu mão de trocar sua fornecedora de material esportivo e manteve marca própria. Desse modo, a diretoria do Coxa revelou que o novo nome será escolhido por votação popular pela torcida. 

Assim, entre as opções estão a atual 1909, Coxa CFC, Alma Guerreira e Green Hell. Por outro lado, o vínculo com empresa cearense Bomache, que produz os materiais do Verdão, termina no final deste ano, e as negociações pela renovação já estão em andamento. 

A fornecedora também é a distribuidora das marcas próprias do Fortaleza, América-MG, Paysandu, CSA, Santa Cruz e Sampaio Corrêa. Além disso, está no Coritiba desde julho de 2018, na gestão de Samir Namur. As antecessoras foram as marcas Adidas e Nike. 

“Por vários fatores se mostrou mais atrativa, principalmente pelo lado econômico em relação às propostas que recebemos”, disse Juarez Moraes e Silva, presidente do Coxa, à Rádio Transamérica.

Kappa e Joma interessadas

Vale ressaltar que o Alviverde chegou a conversar com possíveis empresas para assumir o material esportivo do clube, como a italiana Kappa e a espanhola Joma. Desse modo, a diretoria quase fechou acordo com a primeira, mas decidiram voltar atrás, mesmo que a mudança tenha sido prometida para 2022. 

A princípio, a marca própria iria ficar para coleções, enquanto a fornecedora assumiria o profissional e as categorias de base. Sendo assim, o último balanço financeiro do Verdão não apontou o faturamento e lucro do clube com a 1909. Em 2019, a equipe faturou R$ 1,9 milhão. Anteriormente, quando a Nike esteve à frente do segmento entre 2012 e 2015, o lucro foi de R$ 1,6 milhão. Por fim, com a Adidas, entre 2016 e 2017, o valor do lucro foi de R$ 975 mil. 

“O royaltie das marcas internacionais é baixíssimo. O clube não captura um nível de receita. O material esportivo é uma fonte importante e será maior com a marca própria”, afirmou o presidente Coxa Branca. 

Próximos jogos do Coritiba 

  • CSA: 14/08, sábado, 16h30 – Rei Pelé 
  • Ponte Preta: 17/08, terça, 21h30 – Couto Pereira 
  • Avaí: 20/08, sexta, 19h – Ressacada 
  • Coritiba: 27/08, sexta, 21h30 – Couto Pereira 
  • Londrina: 05/09, domingo, 11h – Estádio do Café 
  • Brusque: 08/09, quarta, 17h (todos em horário de Brasília) – Couto Pereira 

Foto destaque: Divulgação/Coritiba

Cristian Moraes
Estudante de jornalismo que sonha em trabalhar nos maiores eventos esportivos do mundo. E, assim, ser referência na área. Meu principal objetivo é ser correspondente internacional em Turim ou Londres. Sou fascinado por futebol, e como o esporte influencia às pessoas, e o mundo. Não me limito apenas a assistir, mas a consumir em sua totalidade, estudando e entendendo regras, conceitos, histórias e tudo que envolve o mundo das quatro linhas. No entanto, gosto de acompanhar outras modalidades, como: Basquete, Surf, Futebol Americano, Hóquei, Tênis, dentre tantas outras. Junto isso, tenho o amor pela leitura e a escrita como minhas aliadas na hora de passar para os meus textos, todas as sensações e emoções que estou sentindo, ao lado de informações relevantes com apuração precisa. Seja bem-vindo (a)!