cautela para Longuine

Cautela para Longuine! O novo reforço do Operário-PR está sem jogar há mais de 500 dias. Na ocasião, o meia do Fantasma entrou em campo pela última vez no dia 11 de março de 2020. Todavia, no Santos, o seu ex-clube, o atleta permanecia cumprindo a sua série de treinamentos sem restrições.

“A gente acaba sentindo um pouco de estar sem jogar há muito tempo. Tenho treinado sem restrição e tenho me sentindo bem. Mas treino é treino, jogo é jogo. É totalmente diferente.”, disse o meia em entrevista coletiva.

CAUTELA PARA LONGUINE!

A princípio, o clube do Operário-PR adota cautela para a estreia do seu mais novo meia, Rafael Longuine. A decisão, por questão de segurança, serve para resguardar o atleta que, apesar dos treinos no Santos, não disputa em campo há 518 dias. A saber, o meia rompeu o ligamento do joelho direito durante a vitória do CRB, seu antigo clube, sobre o Cruzeiro, pela terceira fase da Copa do Brasil. Ainda mais, Longuine teve que passar por um cirurgia após o seu diagnóstico. Contudo, existe a expectativa da volta do atleta em campo.

“A expectativa para estrear amanhã depende do professor (Matheus Costa). A gente tem mais um treino aqui hoje. Vamos conversar… A expectativa é grande e, se eu for estrear amanhã (quinta-feira), espero ajudar bastante junto com os meus companheiros para conquistar a vitória, que é de suma importância.”, disse o atleta em coletiva.

Apesar disso, Longuine chega ao clube em um momento de mudanças e diversas contusões dos atletas do Operário. Ou seja, o meia tem como esperança sanar algumas das falhas em campo que o Fantasma tem sofrido por não ter a sua equipe principal à disposição do treinador.

“Eu espero ajudar o máximo possível. Ganhar o máximo possível de ritmo de jogo. Estar 100% para alcançar o nosso objetivo principal que é conquistar o acesso a Série A do Campeonato Brasileiro.”, completa o meia.

Foto Destaque: Reprodução/ André Jonsson/OFEC

Amanda Scarlatt
Amo poder ter o jornalismo como a minha maneira de expressão. Sou apaixonada pelo meio digital e tudo que podemos construir nele na comunicação. Acredito fielmente na essência de uma boa matéria jornalística: a investigação. Afinal, independente da sua editoria e formato, o jornalismo pode mudar vidas. Enfim, VIVA O JORNALISMO!