Alerta na área defensiva do Operário-PR

Após o seu confronto mais recente, o time do Fantasma se preocupou. Afinal, o grupo levou quatro gols em suas últimas duas partidas. Ou seja, foram dois tentos sofridos no duelo contra o Ituano e dois do Londrina. Em outras, abrindo assim um alerta para área defensiva do clube alvinegro.

“O gol que sofremos foi de um cruzamento da beirada do campo, no caso o segundo gol. No primeiro gol, nossos zagueiros estavam na área cabeceando, não tiveram nenhum impacto para sofrer o gol.”, completa o técnico Claudinei Oliveira.

Alerta na área defensiva do clube alvinegro

O começo de um campeonato sempre é um misto de emoções para os clubes. Agora, quando é o mais competitivo do país, se torna ainda mais emocionante. Afinal, muitos grupos sofrem com essa montanha-russa de resultados conquistados.

Posto isto, com o Operário não tem sido diferente. O clube tem enfrentado momentos de aperto no início da temporada. Em outras palavras, o elenco tem sofrido com a sua área defensiva e, consequentemente, tem levado mais gols do que o esperado.

Segundo o técnico Claudinei, esse desempenho tem sido um resultado de mudanças e adaptações que o grupo tem construído. Ou seja, o treinador alvinegro tem buscado modificações e junções de todo o elenco para não sofrer na sua área defensiva.

“A defesa não é feita apenas dos quatro que jogam atrás. A defesa é o todo. A gente começa a atacar pelo Vanderlei e começa a defender com o Paulo Sérgio. Então, não dá para focar na linha de quatro e nos volantes. Todo mundo faz parte. A gente não pode perder a confiança no que está sendo feito, é hora de todo mundo dar as mãos e continuar lutando.”, disse Claudinei Oliveira para o site GE.

Foto Destaque: Reprodução/ André Jonsson/ OFEC

Amanda Scarlatt
Amo poder ter o jornalismo como a minha maneira de expressão. Sou apaixonada pelo meio digital e tudo que podemos construir nele na comunicação. Acredito fielmente na essência de uma boa matéria jornalística: a investigação. Afinal, independente da sua editoria e formato, o jornalismo pode mudar vidas. Enfim, VIVA O JORNALISMO!