Sport tem negociação avançada com o volante Maicon, ex-Grêmio

A temporada 2021 teve seu final há algumas semanas com o rebaixamento do Sport à Série B para 2022. Enquanto aguarda Diego Souza, o Leão segue no mercado para a montagem do elenco que buscará o acesso à elite novamente, após três anos. Sendo assim, depois de ter anunciado o volante argentino Nicolas Watson, o Rubro-Negro tem negociação avançada com outro jogador da posição. Logo, trata-se de Maicon, que atuou pelo Grêmio no último Brasileirão.

MAICON

Inicialmente, livre no mercado desde agosto quando se despediu do Grêmio, Maicon, de 36 anos, deve chegar ao Sport sem ônus e com um contrato de produtividade. Além disso, com um salário fixo baixo, dentro do orçamento do Leão, e com bônus em caso de acesso à Série A, ao final da temporada. A saber, formado no Fluminense, o volante despontou nacionalmente no São Paulo. No entanto, foi no Tricolor Gaúcho que fincou raízes desde 2015, com quase 250 jogos realizados.

POSIÇÃO CARENTE NO SPORT

Portanto, Maicon terá uma disputa aberta pela titularidade com o argentino Nicolas Watson, no setor que é uma das posições mais críticas na montagem do elenco. Isso porque, o Sport conta apenas com o gringo recém-contratado e o prata da casa Ronaldo, após a saída da dupla titular, José Welison e Marcão. Além disso, o clube segue em uma crise financeira e tem entraves para manter seus melhores jogadores na virada da temporada. Ainda mais, para reforçar o setor, o Leão encaminha o empréstimo de Pedro Naressi junto ao Ceará.

Por fim, em 2022, o Sport voltará a jogar a Série B, após dois anos do último acesso. Além disso, terá pela frente o Campeonato Pernambucano, Copa do Nordeste e Copa do Brasil. A princípio, o objetivo do Leão é ter um desempenho digno em todos os torneios, algo que não vem acontecendo nos últimos anos, com sucessivos vexames históricos.

Foto destaque: Divulgação/Lucas Uebel/Grêmio

Ricardo do Amaral
"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 29 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."