Robinho

Antes de mais nada, relembramos que este é um texto opinativo da coluna Rasgando o Verbo, porém, baseado em fatos. Neste sábado (10), Robson de Souza, mais conhecido como Robinho, foi anunciado como reforço no Santos. O jogador brasileiro de 36 anos revelou-se pelo Peixe em meados de 2002. Na ocasião, teve sua primeira chance no time profissional pelo Torneio Rio-São Paulo, onde venceu o Corinthians por 3 x 1. Assim sendo, Robson construiu uma carreira sólida no clube paulista, e ajudou o clube ganhar o título do Campeonato Brasileiro de 2002, após um jejum de 18 anos sem títulos.

Com diversas conquistas no currículo, o Rei das Pedaladas foi expandir seu futebol e partiu para o exterior. Vestiu as camisas do Real Madrid, Manchester City, Milan, Guangzhou Evergrande, Atlético Mineiro, Sivasspor e por fim, Istanbul Basaksehir. Além disso, ao longo dos anos retornou duas vezes ao Santos, e disputou duas Copas do Mundo com a Seleção Brasileira

ROBINHO ACUSADO E CONDENADO POR VIOLÊNCIA SEXUAL

A princípio, o fato ocorreu em 22 de fevereiro de 2013, quando Robinho defendia o Milan. Neste dia, ele e alguns amigos decidiram comemorar a noite no restaurante/boate Sio Café, em Milão. Assim sendo, de acordo com o Tribunal de Milão, ele e seu amigo Ricardo Falco teriam abusado de uma jovem albanesa de 22 anos. Eles teriam imposto a ela “humilhações repetidas, bem como, a atos de violência sexual pesados, descritos em conversas interceptadas”, dizia o relatório final do julgamento.

“Foram usados termos chulos e desdenhosos, sinais inequívocos de falta de escrúpulos e quase consciência de uma futura impunidade. Isso levou o acusado até mesmo a rir várias vezes do incidente, destacando assim um absoluto desrespeito pela condição da vítima”, disse a juíza da nona seção do Tribunal de Milão.

A condenação? NOVE ANOS DE PRISÃO! A solução? Fugir do país e se esconder nos gramados da Turquia. Como por exemplo, a partida Istanbul Basaksehir x Roma, válida pela Europe League. Robinho não compareceu em solo italiano pela possibilidade de prisão

MAIS UM PANO SENDO PASSADO NO FUTEBOL

Recentemente foi postado um texto opinativo de autoria de Lauren Berger, onde o tema era a contínua participação de agressores no futebol. Aqui estamos nós novamente! Peço licença para escrever em 1ª pessoa, pois como uma jovem de 19 anos de idade, que sonha em ser jornalista esportiva, isso me causa repulsa e tristeza. Cresci levando Ronaldo, Ronaldinho, Messi e muitos outros como exemplo. Cresci apoiando esses homens, dentro e fora de campo. Agora eu te pergunto, como colocar um condenado a nove anos de estupro na televisão da sua casa e explicar para a sua filha/irmã/namorada/mãe, que aquele jogador do seu clube do coração violou uma mulher? Como você explica que uma pessoa que comete o crime mais repulsivo do mundo está nos holofotes?

Decerto eu entendo o amor pelo clube, entendo que o Robinho é um grande ídolo da torcida santista, entendo que ele encantou a todos com seu futebol. Só não entendo o porque da idolatria depois disso tudo. Não entendo como o futebol pode acatar tantos outros agressores dentro de campo, sendo um esporte de modelo para milhares de crianças e jovens. Eu não entendo separar o Robson de Robinho, pois não se separou a vontade e liberdade da jovem albanesa de 22 anos de uma noite de curtição para um “pedido” de estupro. Nenhuma, repito, NENHUMA, mulher pede por um crime como esse! Não importa a nacionalidade, a cor, a idade, a roupa, o local….. se uma mulher diz não, é não!

Campanha do Santos (Foto: Reprodução/Twitter)

Campanha do Santos (Foto: Reprodução/Twitter)

O APOIO FRENÉTICO DE TORCEDORES

É realmente desanimador entrar nas redes sociais do clube e ver os comentários de defesa sobre Robinho. “Mas vocês nem sabem se ele é realmente culpado”, se não confiarmos na justiça, em quem confiaremos? “Isso não passa de mimimi, vocês só querem lacrar”, desde quando se impor sobre uma atrocidade dessa é mimimi? Entendam de uma vez por todas, nós acordamos, nós encontramos nossas vozes e não vamos nos calar. Isso nos fere como mulher, como torcedoras, como homens que entendem a gravidade do problema, como seres humanos.

“Nós contratamos ele como jogador e não queremos saber do extra”, se o caso for esse, logo te adianto que você pode se frustrar. Afinal, Robinho completa 37 anos em janeiro. No Campeonato Turco foram 25 partidas, nenhum gol e ficou a maior parte da temporada no banco de reservas. Após o fim da competição com o troféu de campeão, o técnico do Istanbul Basaksehir, Okan Buruk, disse para a diretoria que não precisavam mais gastar dinheiro com o brasileiro, pois não o queria.

Por fim, fica a indignação com o Santos Futebol Clube, um time que publica em suas redes sociais campanhas contra a violência sexual e demonstra apoio popular às mulheres. Um clube imenso, com uma história brilhante, que revelou os melhores jogadores do Brasil. Honroso, vitorioso, mas que deixou a desejar e decepcionou parte de seus torcedores com tal contratação. Que o clube prospere sempre, mas que entenda a responsabilidade que possui com um país e com milhares de vidas! O futebol nunca será apenas futebol.

Foto: Reprodução/Twitter

Foto: Reprodução/Twitter

Foto Destaque: Reprodução/Getty Images

Giovanna Monteiro
Cursando o 4º semestre de Jornalismo na Universidade Anhembi Morumbi, apaixonada por esportes desde os 7 anos e hoje com a cabeça e o coração encaminhados ao Jornalismo Esportivo.

Artigos Relacionados