Remo

Em uma enquete realizada pelas redes sociais do Esporte Interativo, o Clássico Rei da Amazônia, ou Re-Pa, foi escolhido o maior clássico do Brasil pelos internautas. Dessa forma, o confronto entre Remo e Paysandu desbancou grandes e famosos encontros, tais como Corinthians x São Paulo e Bahia x Vitória.

https://twitter.com/Esp_Interativo/status/1267981827215511553

Enquanto os clubes estão na Série C do Brasileirão, e longe da elite há muitos anos, a paixão das torcidas ainda o mantém mais vivo do que nunca. É inegavelmente um clássico de muita história, tradição e rivalidade.

REMO X PAYSANDU – O MAIS JOGADO DO MUNDO

Com 105 anos de história, já foram disputadas 753 partidas entre os dois, em jogos válidos pelo Campeonato Paraense, Campeonato Brasileiro, Copa Norte e Copa Verde. No período entre 1914 e 2020, já foram 261 vitórias azulinas, 256 empates e 236 vitórias bicolores. O Remo marcou 953 gols e o Paysandu guardou 955 bolas. Além disso, o Re-Pa é considerado o clássico mais vezes disputado entre rivais no futebol mundial.

MARCAS HISTÓRICAS

maior goleada do confronto aconteceu no dia 22 de julho de 1945. Na ocasião o Paysandu venceu o Remo pelo placar de 7 x 0, no Estádio Evandro Almeida, o Baenão, a casa azulina. Posteriormente na década de 90, o Leão impôs ao Papão o maior tabu da história do clássico e do futebol, 33 jogos.

Entre 1993 e 1997, foram 21 vitórias e 12 empates, por conseguinte os Azulinos foram pentacampeões estaduais nesse meio tempo. Em seguida, o maior público aconteceu em 11 de julho de 1999, pela final do Parazão daquele ano. Cerca de 65.000 pessoas estavam no Mangueirão, com vitória do Clube do Periçá por 1 x 0 e consequentemente conquistou o título.

JOGOS MEMORÁVEIS

Nesse sentido, Remo e Paysandu já protagonizaram grandes jogos pelo Campeonato Paraense e também pelo Campeonato Brasileiro. Em 1992 o Papão venceu o rival na final estadual com um gol do meio de campo, do atacante Mendonça, triunfo que garantiu a conquista do certame.

Dessa forma, também na galeria de confrontos memoráveis, estão os dois jogos pelo terceiro lugar da Copa João Havelange de 2000, que valia vaga no cruzamento dos módulos. O Remo havia sido eliminado pelo Paraná Clube e o Paysandu pelo São Caetano.

Na primeira partida, no antigo Mangueirão, vitória do Leão Azul por 3 x 2, os gols azulinos foram marcados pelo centroavante Robinho, sendo a última vez que aconteceu hat-trick no clássico. Por outro lado Richardson e Zé Augusto anotaram para o Papão. Na volta, os Bicolores apenas empataram com o rival em 1 x 1, Sandro Goiano fez para o Clube do Suíço e Jurinha para o Filho da Glória e do Triunfo.

TÍTULOS E VIZINHOS RIVAIS

Com toda a certeza, os rivais detêm a hegemonia no Estado do Pará. O Paysandu é o maior campeão estadual com 48 títulos, já o Remo vem logo atrás com 47 conquistas. No quesito conquistas nacionais, o Papão leva vantagem com dois títulos da Série B de 1991 e 2001, mais a Copa dos Campeões de 2002. Como resultado, a vaga inédita na Libertadores de 2003. O Leão possui uma conquista nacional, o Campeonato Brasileiro da Série C de 2005, ano de seu centenário.

Por fim, uma curiosidade do Clássico é a proximidade dos dois Estádios, que estão localizados na avenida Almirante Barroso, no bairro do Marco, em Belém. 250 metros, separam o Baenão, casa do Remo, da Curuzú, casa do Paysandu.

Foto Destacada: Reprodução/Rádio Clube do Pará

Amaury Ferreira
Amaury Ferreira
Escolhi o Jornalismo como profissão, porque desde a minha infância sempre fui fascinado pelos âncoras de telejornais e pelas transmissões esportivas no rádio e na televisão, a relação com meu time do coração também influenciou na minha escolha. Sou uma pessoa bem tranquila, mas que quando acredito em alguma coisa, sempre tento buscar correr atrás.

Artigos Relacionados