Hernanes acerta com o Sport (Foto: Divulgação/São Paulo)

Após muita especulação, finalmente, o Sport anunciou a contratação do meia Hernanes em suas redes sociais, nesta terça-feira (3). Duas semanas depois de rescindir com o São Paulo, o atleta chega à Recife para jogar pela primeira vez em sua cidade natal. No entanto, aos 36 anos, o contrato prevê cláusula de produtividade e ganhos por metas alcançadas.

Dessa forma, Hernanes se torna a primeira contratação da Era Leonardo Lopes na presidência executiva do Sport, após vitória nas eleições de 15 de julho. Contudo, ainda atravessando uma crise financeira desde 2018, o acerto do Leão com o meia teve cifras abaixo da média da carreira do jogador, que buscava uma oportunidade para continuar atuando no futebol.

Agora, o Profeta chega para disputar posição em um setor que conta com Gustavo, Thiago Lopes e o experiente Thiago Neves. No entanto, ainda carente de um nome que seja unanimidade após a saída de Diego Souza, em 2018, e por onde já passou vários jogadores desde então. Apesar disso, o técnico Umberto Louzer ainda pode utilizá-lo como volante, onde competiria com os destacados Marcão e Zé Welison por uma vaga entre os titulares.

CARREIRA DE HERNANES

Natural de Recife, mas sem ter jogado profissionalmente em Pernambuco, Hernanes atuou nos juvenis do Santa Cruz e Náutico nos anos finais da década de 90. Logo, chegou ao São Paulo, em 2001, para encerrar a formação de base. No entanto, um ano após a profissionalização, foi emprestado ao Santo André. Mas retornou, em 2007, ao Tricolor Paulista para ser bicampeão brasileiro, no histórico time tricampeão de Muricy Ramalho, em 2006, 2007 e 2008.

Sendo assim, os títulos deram a Hernanes a idolatria e a projeção internacional que necessitava para deixar o Brasil. Na Europa, o jogador atuou por grandes clubes italianos, como Inter de Milão e Juventus. No entanto, foi na Lazio onde se tornou ídolo e foi comparado a Falcão, logo em sua chegada, e, posteriormente, a Kaká, melhor do mundo em 2007, e Verón.

Após sete anos bem sucedidos na Itália, onde conquistou duas Copas da Itália e uma Serie A, Hernanes se transferiu para o Hebei China Fortune, da China. Mas ficou pouco tempo, pois retornou ao São Paulo, em 2017, primeiro por empréstimo, depois em definitivo. Apesar disso, já com mais de 30 anos, a volta às origens encontrou barreiras no ritmo de jogo praticado no Brasil, diferente do chinês.

FASE ATUAL

Isso porque, na segunda e até então última passagem pelo São Paulo, Hernanes foi do céu ao inferno. Pois, se a primeira impressão foi de casamento perfeito, quando comandou a reação tricolor no Brasileirão de 2017, os anos seguintes foram de queda técnica e pouca sequência em campo. Assim, nas últimas duas temporadas, o meia atuou em 77 partidas e marcou oito gols.

Enquanto que, em 2021, Hernanes disputou apenas nove jogos, nenhum no Brasileiro, quando foi relacionado em apenas cinco rodadas. Nesse ínterim, foi titular em um único confronto, diante do Sporting Cristal, pela Libertadores. Além disso, não entra em campo desde o jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil, quando o São Paulo perdeu para o 4 de Julho-PI, por 3 x 2, há dois meses.

HERNANES E SPORT

Torcedor declarado, Hernanes realizará o sonho de parte de sua família, radicada em Caruaru, no agreste pernambucano, de atuar pelo Sport. Apesar disso, mais do que isso, no Leão da Ilha, o jogador busca encontrar sentido e dar sequência a uma carreira vitoriosa. Até porque, com carências no elenco leonino, oportunidades não faltarão para reencontrar o caminho das redes e do bom futebol.

Foto destaque: Divulgação/São Paulo

Ricardo do Amaral
"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."