pintado e os desafios no goiás

Nos últimos dias, o técnico Pintado concedeu entrevista ao programa Feras do Esporte, da Bandeirantes 820. Nesse meio tempo, falou sobre a montagem do elenco, sobre a necessidade de jogar de forma ofensiva e os cuidados necessários com esse planejamento.

PINTADO E A MONTAGEM DO ELENCO

Em um primeiro momento, o comandante esmeraldino afirmou que teve um cuidado muito grande ao escolher os jogadores para a montagem do elenco. Nesse sentido, frisou que é essencial manter o estilo de jogo, visto que uma eventual mudança, demandaria mais tempo de trabalho:

“A gente teve um cuidado muito grande na montagem da equipe, selecionar o que a gente tem como característica, de um clube do tamanho do Goiás, com a história, com a camisa, do Goiás. Estudamos bastante, não só pelo nome, pelo histórico, procuramos o momento. O passado é importante para balizar, mas o importante é o momento. A gente fica satisfeito que o torcedor está feliz”, avaliou Pintado.

A CONSTRUÇÃO DA EQUIPE

Por fim, explicou a sua forma de construir o time, deixando claro que isso necessita muito estudo.  Ao passo que, o comprometimento dos atletas é fundamental:

“Tenho que saber, tenho que saber onde estou chegando, vou te dar um exemplo. No Juventude, a dificuldade era a parte ofensiva. Nós construímos o clube da frente para trás. Então nós fomos o segundo melhor ataque da competição (Série B 2020). Porque nós trabalhamos. A gente pensou nisso. A montagem da equipe foi pensando na dificuldade. Aqui no Goiás nós vimos que a equipe tinha dificuldade na parte defensiva. Como uma grande equipe, temos que jogar para frente, normalmente desguarnece um pouco atrás. Então hoje nós estudamos bem, até para não errar nas contratações, porque encher de atacante aqui e a necessidade é a parte defensiva não seria coerente. Isso foi uma exigência da Diretoria para não errarmos. Foi um trabalho aqui de muitas mãos”, contou Pintado.

Foto destaque: Reprodução/Rosiron Rodrigues/Goiás

André Merice
André Merice
A paixão pelo esporte me fez escolher a profissão. A experiência como atleta não foi como o esperado. Então, procurei algo em que me encaixasse. E o Jornalismo foi a primeira opção! Falar já é bom, quando o assunto é futebol, se torna melhor ainda.

Deixe uma resposta