Paraná não c

A saber, Rubens Ferreira Silva assumirá a presidência do Paraná Clube para o triênio 2022-24 três meses antes do previsto. A princípio, a antecipação foi aprovada pelo Conselho Deliberativo na noite da última segunda-feira (30), em reunião online. A posse anterior seria em 21 de dezembro. Agora, ela será realizada em 14 de setembro.

Posteriormente, o próprio clube divulgou a informação na manhã de terça-feira (31), em sua redes sociais. Contudo, o Tricolor alegou “preocupação em definir novos rumos” para justificar a mudança. Nesse interim, a equipe paranista está no Z-2 da Série C e próxima de seu terceiro rebaixamento em quatro anos.

Após a eleição, no começo de agosto, a chapa de Rubão já iniciou a transição e pretendia assumir o clube com antecedência. Assim, Luiz Carlos Casagrande, o Casinha, é o atual presidente após renúncias de Sérgio Molletta – que ocorreu no fim de abri, e Leonardo Oliveira – no fim de janeiro. Ou seja, o Tricolor terá quatro presidentes em menos de um ano.

Além de Rubens, a nova diretoria é composta por: Ailton Barboza de Souza (1º vice-presidente), Flávio Zonta (2º vice-presidente), Helton Mercer Caron e Fernando Cezar Karpinski como membros.

Diretores que pediram demissão do Paraná

Antes de tudo, o diretor de futebol, Marcelo Guatura, e o executivo de futebol, Marcelo Nardi, pediram demissão durante o dia. O primeiro estava no clube desde abril, enquanto o segundo assumiu a função há pouco mais de um mês.

Guatura foi 2º vice-presidente da diretoria eleita em 2015, liderada por Leonardo de Oliveira, além de atuar como analista de mercado nas contratações no segundo mandato. Já Nardi teve passagem como coordenador das categorias de base e gerente de futebol, na gestão de Rubens Bohlen.

Pela Série C, o Paraná ocupa a penúltima colocação do grupo B, com 10 pontos, e está a seis pontos do São José-RS e Mirassol, primeiros times fora da ZR. O Tricolor encara o Criciúma no sábado, às 19h (horário de Brasília), na Vila Capanema, pela 15ª rodada.

Foto destaque: Divulgação/Thiago Ribeiro/RPC

Luiz Santos
Escrever se torna um refúgio. Falar sobre esportes virou uma paixão. Setorista do Paraná FC