Celso Ayala

Nesta quinta-feira (20), a coluna Parabéns ao Craque homenageia Celso Rafael Ayala, o atleta considerado um dos melhores zagueiros dos anos 90. Revelado no Olimpia, o paraguaio acumula importantes clubes em sua trajetória. Dentre eles, o Rosario Central, River Plate, Betis, Atlético de Madrid e São Paulo. E, por fim, a memorável passagem pela Copa do Mundo de 1998.

https://twitter.com/RiverPlate/status/1163955234185650176?s=20

DO OLIMPIA AO MUNDO

Celso Rafael Ayala, para os íntimos e torcedores El Chito ou Ayala, começou a sua carreira futebolística no Club Olimpia, do Paraguai. Aos 20 anos, conquistou com a camisa do clube a Taça Libertadores da América de 1990. Logo, o seu estilo de jogo, que era bem posicionado, com uma defesa eficiente e finalização pontual, que chamou atenção de outros times. Tanto nacionais quanto internacionais. Então, em meados de 1994 finalizou a sua trajetória no Olimpia.

Dessa forma, foi para o seu próximo destino, Rosario Central, na Argentina. Chegou ao clube ainda em 1994. Mas, não obteve sucesso como jogador. Assim, em rápida passagem saiu do time.

Se, por um lado a sua passagem pelo Rosario não tinha dado certo, por outro, a sua trajetória no Club Atlético River Plate tinha tudo para despontar. Assim, o ano era 1995 e o novo era o infinito que o zagueiro poderia alcançar. E alcançou. E brilhou. Dentre os seus títulos conquistados estão: Taça Libertadores da América (1995-1996), Supertaça (1997) e quatro títulos locais. Ainda, é até hoje reconhecido como um dos principais e melhores atletas que vestiram a faixa vermelha.

Além desses, segundo Transfermarkt, o zagueiro jogou com a camisa do Real Betis Balompié (1998-1999), Atlético de Madrid (1999-2000), São Paulo Futebol Clube (2000-2001), voltou para o River Plate (2001-2005) e encerrou a sua carreira no Club Social y Deportivo Colo-Colo (2005-2007).

LENDÁRIO NO RIVER PLATE

Marcado com a camisa da faixa vermelha, o que poucos sabem sobre Celson é que o primeiro ano no River não foi nada fácil para ele. Ou seja, a sua rápida passagem pelo Rosario não gerou confiança no atleta como profissional. Assim, a mudança repentina de equipe forçou uma nova adaptação com dele como profissional.

Segundo o Ayala, a sua permanência e história construída no clube deu-se ao treinador Ramón Díaz, que acreditou e confiou em seu potencial desde o início. Afinal, facilitou a adaptação e execução de seu melhor jogo dentro de campo com a camisa do River.

“Lá eu me sentia livre, me sentia muito bem. Realmente estava em casa”, disse o atleta em entrevista para TNT Sports.

Dessa maneira, um dos frutos conquistado e celebrado até hoje é o empate do River Plate com o Boca Juniors, em 1997. Na época, Celso Ayala cabeceou a redondinha direto para dentro do gol durante uma cobrança de escanteio. Levou a torcida a loucura. Que ainda, faz festa pelo feito. Então, o zagueiro evitou a derrota do time. E, eternizou “comemoração da alma” para os milionários.

https://twitter.com/RiverPlate/status/1242213924654723072?s=20

COPA DO MUNDO 1998 E O FIM DE CARREIRA

Mais um fruto da sua excelente trajetória no River Plate, foi a sua ida para a Copa do Mundo, em 1998. O auge de sua carreira profissional. Por lá, Ayala formou dupla de zaga com Carlos Gamarra. E, juntos, construíram um memorável e brilhante “casamento” durante a partida. Contudo, sem um bom resultado. Ou seja, a Seleção Paraguaia de Futebol foi derrotada pela anfitriã francesa por 1 a 0.

Depois disso, El Chito nunca mais foi o mesmo. Assim, saiu do River. Em seguida, foi para o Betis. Ainda, no ano seguinte para o Atlético de Madrid. Mas, novamente, com rápida passagem. Por lá, durou  apenas dois anos. Após esse tempo, desembarcou no Brasil. Sua nova casa, São Paulo Futebol Clube.

Assim, foi em 2000 que o atleta chegou ao Brasil como promessa de um dos melhores jogadores da zaga. Porém, mais uma vez, em curta passagem, Ayala foi dispensado do time brasileiro. Na época, a sua atuação foi dita como apagada. Sendo assim, permaneceu apenas oito jogos com a camisa tricolor. Então, deixou a equipe brasileira e voltou ao River Plate. Desse momento em diante como futebolista, Celson começou a caminhar para o fim de sua carreira. Ou seja, em 2006/2007, sem grandes performances, o zagueiro pendurou as suas chuteiras no clube chileno Colo-Colo.

E AGORA?

Por fim, segundo o Ogol, após encerrar a sua carreira, Celson Ayala iniciou o trabalho de técnico de futebol. Em seu currículo, inclui as principais equipes como: Sportivo Carapeguá (2012-2013), Petrolero Yacuiba (2014/2015-2015/2016), Nacional (2017-2018), Sportivo Luqueño (2019) e seu consagrado clube River Plate (2020). Contudo, atualmente, o ex-jogador não está no comando de nenhuma equipe de futebol.

Foto Destaque: Reprodução/Fotobaires

Avatar
Amanda Scarlatt
Amo poder ter o jornalismo como a minha maneira de expressão. Sou apaixonada pelo meio digital e tudo que podemos construir nele por meio da comunicação. Acredito fielmente na essência de uma boa matéria jornalística -a investigação-, isso, independente da editoria e meio. Enfim, viva o jornalismo! E respeitemos a profissão e os profissionais.

Artigos Relacionados