Palmeiras

No Palmeiras desde 2020, Ottilia nunca escondeu a paixão e torcida pela equipe alviverde. Com as cores do time do coração, a atacante é uma das artilheiras das Palestrinas na temporada. A saber, assim como Agustina e Duda Santos, assinou quatro gols ao longo dos quinze jogos do Verdão no Brasileirão.

Torcedora dentro de campo, Otti já falou várias vezes sobre viver um sonho ao jogar pelas cores do Palmeiras. Filha de um pai “palmeirense verde”, muito antes de jogar, torce. Natural de Vista Alegre do Alto, do interior de São Paulo, a jogadora fala sobre o início desse amor:

“Meu pai é torcedor fanático e na minha cidade tem bastante palmeirense. Desde pequena, ele sempre quis que eu torcesse pelo Palmeiras. Em uma viagem, ele trouxe um uniforme do Palmeiras para mim, lembro que não tirava ele para nada. Cresci com isso na cabeça: ser Palmeiras”.

Fanática, como deve ser, é torcedora de ir torcer no estádio, de acompanhar de perto e de assistir à conquista de títulos. A propósito, na Copa do Brasil de 2015, estava lá, no meio do Corredor Alviverde, criado para recepcionar os jogadores.

“Todos os jogos que eu podia ir, eu ia. Fui à final da Copa do Brasil de 2015. Lembro que estava com o dinheiro contado para comer, mas passei por um cara vendendo bandeira, chorei e ele me vendeu por 30 reais, foi todo meu dinheiro ali”.

No Palmeiras, joga com as mesmas cores que o ídolo Dudu

Primeiramente, como torcedora, Ottilia possui ídolos dentro do Verdão. A saber, o baixola, eterno com a 7 (e atual 4+3), Dudu é um dos jogadores que a atacante mais ama.

“O Dudu e o Prass são os caras que mais admiro no clube. Não tem satisfação maior do que ter visto tudo que o Dudu fez com essa camisa, todos os títulos que ganhou. Estou muito feliz que ele voltou, amo muito ele”.

Com Dudu de volta, o Palmeiras cuidou de, enfim, promover o encontro. Otti contava sobre a vez em que esperou, durante um dia todo, os jogadores em um hotel, na expectativa de vê-lo, quando Dudu entrou na sala. Emocionada, a atacante chorou enquanto abraçava o ídolo. A torcida, vendo o vídeo divulgado pelo clube, também chorou, na vontade de morar naquele abraço.

Foto destaque: Reprodução/Fábio Menotti

Laisa Rodrigues
Sou atleta de sofá, corneteira, palmeirense apaixonada e jornalista em formação. Joseense de 20 anos, estou no terceiro ano da faculdade e sonhando, todos os dias, com tudo de mais lindo que ainda vou viver com a área esportiva. Vem comigo?