Águia Negra

Antes de mais nada, no último sábado (24), o Águia Negra perdeu fora de casa por 2 x 0 para o Uberlândia, no estádio Parque do Sabiá, pela 8ª rodada do Grupo A6 da Série D do Campeonato Brasileiro.  Em suma, o jogo marcou a estreia do técnico Luiz Carlos Vilela pela equipe de Rio Brilhante, Mato Grosso do Sul.

Desse modo, os gols marcados por Ingro e Franco dificultaram ainda mais a situação do Águia Negra no campeonato. O Rubro-Negro permanece na 7ª colocação, penúltimo da chave, com apenas cinco pontos. Enquanto isso, o Uberlândia subiu duas posições e assumiu a vice-liderança do Grupo A6, com 15.

Confira os melhores momentos de Uberlândia x Águia Negra

A princípio, Luiz Carlos Vilela chegou ao Águia substituindo Rúbio Alencar, demitido há dez dias, após sofrer goleadas seguidas na Série D, diante de Ferroviária e Caldense. Desse modo, o técnico tem a difícil missão de levar os sul-mato-grossenses ao G4 no grupo A6, para avançar às fases de mata-mata.

Para isso, Vilela precisa corrigir, principalmente, a parte defensiva. Atualmente, o Rubro-Negro tem a pior defesa do grupo, com 25 gols sofridos (média de 3,12 por partida). Na parte ofensiva, por outro lado, marcou nove vezes (mesmo número do Rio Branco VN) e só fez mais que Rio Branco-ES e Patrocinense, com seis e sete, respectivamente.

Na próxima rodada, as duas equipes voltam a campo no domingo (1). O Uberlândia visita o Rio Branco VN, às 15h (horário de Brasília), no estádio Olímpio Perim, em Venda Nova do Imigrante-ES. Já o Águia Negra joga em casa contra a Caldense, às 16h (horário de Brasília), no estádio Ninho da Águia, em Rio Brilhante-MS.

Carreira do novo treinador do Águia

Primeiramente, Luiz Carlos Vilela é conhecido como Ferguson Caipira. Ele recebeu o apelido pela longevidade à frente do Elosport, de Capão Bonito. Pelo clube paulista, onde atualmente é presidente, soma três passagens e mais de 22 temporadas de comando técnico. Ou seja, dos 27 anos da existência do clube, Vilela só não participou de cinco. Fora da equipe que disputa a quarta divisão paulista, entretanto, trabalhou somente nas categorias de base do Palmeiras (1999) e na equipe principal do Toledo, do Paraná.

Foto destaque: Reprodução/CBF TV

Thaffarel Nunez
Nascido em Campo Grande-MS, mas bela-vistense de coração, tenho 30 anos, sou apaixonado por leitura, escrita, comunicação e principalmente por esportes. Sou graduado em Letras pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e atuo como jornalista desde 2014 em sites de notícias locais, rádios e recentemente através do Youtube, podcast, entre outros.