Um dos nomes mais importantes da história do Bragantino, Marcelo Veiga, morreu na tarde desta segunda-feira (14) em decorrência de complicações relacionadas à Covid-19. Ao passo que ele permaneceu quase um mês internado na UTI da Santa Casa de Bragança Paulista.

O treinador, de 56 anos, estava no São Bernardo, onde foi vítima do surto de Coronavírus, que atingiu o elenco no mês passado. Ainda não existem informações sobre velório e enterro.

HISTÓRIA LIGADA AO BRAGANTINO

Marcelo Veiga foi o técnico que mais vezes esteve à frente do Massa Bruta. A primeira passagem dele pelo clube de Bragança foi em 2004. Desde então, comandou a equipe em 516 jogos divididos em seis passagens, com o retrospecto de 196 vitórias, 133 empates e 187 derrotas. No mais, esteve na conquista do Campeonato Brasileiro Série C em 2007.

Na última passagem, em 2019, o comandante deixou o Bragantino por causa da parceria com a empresa de bebidas energéticas austríaca. Na ocasião, ele demonstrou gratidão ao Braga em entrevista à Rádio 102 FM.

“Essa é a informação que nós tivemos, a comissão do Bragantino não existe mais. Fico feliz de ter feito parte da história porque pegamos um time quase caído em 2017, recuperamos, e devo meu crescimento profissional ao Bragantino”.

Além disso, Veiga foi campeão brasileiro da Série D com o Botafogo-SP em 2015. Ademais, o profissional também dirigiu vários clubes do interior paulista, como Francana, São Caetano, Guarani e Mogi Mirim. Fora de São Paulo, treinou Ferroviário-CE, América-RN e Remo-PA.

Antes de virar treinador, Marcelo Veiga foi um lateral que poderia atuar tanto na direita quanto na esquerda. Assim, atuou por Santos, Internacional, Goiás e Bahia.

No entanto, o momento mais marcante da carreira foi em 1988, quando defendeu o Ferroviário e marcou o gol do título do Campeonato Cearense. Ele também conquistou um Campeonato Gaúcho e uma Copa do Brasil pelo Inter, ambos em 1992.

Foto destaque: Divulgação/Correio de Atibaia

Avatar
Maycon Santos
Sou jornalista formado pela UERJ desde 2015, com passagem pelos sites FutNet e Fanáticos por Futebol e pelas rádios UERJ, Band News FM, Grande Rio, Botafogo Oficial, Fluminense AM e Antena Esportiva. Sempre quis acompanhar eventos esportivos de perto, principalmente futebol. O jornalismo me proporcionou esta oportunidade.

Artigos Relacionados