Fluminense

Fluminense e Santa Fé se encaram nesta quarta-feira (28) pela fase de grupos da Libertadores. No entanto, o time enfrentou mudanças de logística depois da mudança do local do jogo em função da pandemia da Covid-19. Assim, o time saiu de Bogotá e chegou em Armenia no início da tarde, após 40 minutos de viagem.

Desse modo, após enfrentar dificuldade para a locomoção do elenco, o Fluminense fretou um airbus da “Avianca” por US$ 50 mil dólares (R$ 272 mil). Portanto, a delegação do Flu embarcou no Aeroporto Internacional El Dorado, na capital Bogotá, às 12h30 (horário de Brasília), nesta quarta-feira (28), algumas horas antes do confronto.

A princípio, os problemas começaram na noite de segunda-feira (26). De modo que, a equipe tricolor chegou em Bogotá em um voo fretado, seguindo a exigência da Conmebol durante a pandemia. Portanto, após o desembarque, a prefeitura da cidade emitiu o decreto de proibição dos jogos na capital da cidade, em medida restritiva devido ao aumento de casos de Covid-19.

Assim sendo, a Conmebol tentou manter o local da partida no Estádio Metropolitano de Techo. No entanto, devido ao decreto, foi inevitável a mudança para o Estádio Centenário de Armenia. Dessa forma, o time manteve a programação de treinamentos na cidade de Bogotá, onde fez seu último treino para a partida no Complexo Esportivo La Equidad.

Deslocamento do Fluminense para a partida

Portanto, o clube rejeitou a opção de deslocamento por ônibus, que resultaria em uma viagem de seis horas desgastante para os atletas. Assim, buscando a solução por vias aéreas, o que resultou em outro problema. Haja vista que o avião já fretado pelo clube não tem autorização para voos na Colômbia.

A principio, o Santa Fé ofereceu ao Fluminense três aviões. No entanto, os transportes de menor porte não ofereceriam o suporte necessário para levar toda a delegação tricolor e o material de viagem dos jogos internacionais. Além disso, o clube também recusou por medidas de segurança pelo fato dos aviões serem antigos.

Assim, a Conmebol conseguiu um aval para o voo. Vale ressaltar que a legislação do país requer um prazo de 72 horas de antecedência para o deslocamento das equipes por vias áreas. A saber, a solução foi fretar um airbus da “Avianca”, que tem autorização tanto no Brasil quanto na Colômbia.

O Santa Fé, conforme o regulamento, passou a ser o responsável por cobrir os gastos do visitante diante dos imprevistos. De modo que, de acordo com a Rádio Globo e o ge, o Fluminense vai pagar US$ 50 mil dólares (R$ 272 mil). Assim sendo, com todo o deslocamento, o clube gastou cerca de R$ 1 milhão.

Além disso, toda a situação interferiu até na volta do time ao Brasil. Dessa maneira, a diretoria tricolor teve que negociar com a “Gol”, pois o período inicial de reserva era de 48 horas. Portanto, a empresa aérea esticou o prazo para 6h da quinta-feira (29). Assim, os jogadores irão emendar um voo ao outro após o confronto.

Foto Destaque: Reprodução/Fluminense

Avatar
Juliana Veiga
Estudante de Jornalismo, carioca, 22 anos. Escolhi o jornalismo, pois é uma profissão admirável, que apresenta uma amplitude de áreas para atuação e possui a missão de informar e formar opiniões. Desde a minha infância sonhava em ser comunicadora, e a paixão pelo futebol sempre esteve presente em minha vida. Assim, tornando o jornalismo esportivo a primeira certeza que tive na profissão. Redatora em sites jornalísticos e apaixonada por esportes, escrita e fotografia.

Deixe uma resposta