Eberlin diz que um "cara da bola" vai comandar o futebol do clube. (Foto destaque: Diego Almeida/ PontePress)

Desde já, Marco Antônio Eberlin, está tomando algumas atitudes de olho na evolução da competitividade. Bem como, após anunciar a renovação do técnico Gilson Kleina, na última sexta-feira (3), o presidente revelou o desejo de ter um ex-jogador no comando do futebol do clube.

Assim também, em entrevista à Rádio Bandeirantes, o presidente usou a expressão “cara da bola”. Da mesma forma, foi o termo para se referir ao perfil procurado para ser o coordenador de futebol da Macaca a partir de 2022.

Vale lembrar, entre 1997 a 2006, Eberlin comandou o futebol da Ponte Preta. Além disso, trabalhou com jogadores que ganharam projeção no cenário nacional. De maneira que, destaque entre eles, os ex-atacantes Luís Fabiano e Washington e o ex-volante Mineiro.

“Eu vou ter um ex-jogador, um cara da bola, como meu coordenador de futebol. A Ponte não terá diretor de futebol. Eu abomino o termo executivo de futebol. Executivo é para assinar papel e para isso já tem muita gente na Ponte. Eu vou convidar um jogador que trabalhou comigo na Ponte Preta, um cara para estar perto do gramado, perto dos jogadores, para me ajudar. O Luís Fabiano me agrada, mas ainda não falei com ele disso” – revelou o presidente eleito.

Eberlin

Nesse ínterim, um dos primeiros desafios do futuro coordenador de futebol vai ser a disputa do Campeonato Paulista. Do mesmo modo, a primeira rodada está prevista para o dia 26 de janeiro. Tal como, a Ponte Preta vai estrear, fora de casa, diante do Palmeiras, no Allianz Parque.

Por fim, os próximos dias serão focados nas definições do elenco”

“Não adianta chegar na Ponte agora e mandar 30 jogadores embora, e em 25 dias ter que montar a equipe. Tem atletas que têm condição de ficar, vamos trazer atletas da Base e, claro, fazer contratações. Estamos conversando com o Kleina, trocando mais ideias e definindo isso”, conclui Eberlin.

Foto destaque: Diego Almeida/ PontePress

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs