A temporada 2021 mal começou e as especulações sobre transferências não param de surgir. Destaque do River Plate nas últimas temporadas, o centroavante Borré despertou o interesse de dois gigantes brasileiros: Grêmio e Palmeiras. O Imortal viu a negociação esfriar após a oferta inicial, contudo apresentou nova proposta e aguarda o retorno do estafe do craque colombiano. Já o Porco desistiu da contratação de última hora.

Antes de mais nada, é inegável que qualquer equipe gostaria de contar com o talento de Borré. Jovem com faro de gol, o jogador marcou quatro dos seis gols na goleada sobre o Godoy Cruz no sábado passado (20). Desse modo, a disputa pelo centroavante do River Plate esquentou ainda mais. Em síntese, o texto de hoje irá tratar das chances de Borré vestir outra camisa após o término do contrato com o gigante argentino.

O histórico

Matador e jogador de seleção. Revelado no Deportivo Cali (palmeirenses certamente abrem um sorriso ao ler esse nome), o craque colombiano de 25 anos encontrou seu espaço nos Millonarios. Sobretudo após a conquista da Copa Libertadores em 2018. Antes de vestir a camisa do River Plate teve uma breve passagem pelo futebol espanhol. Jogou no Atlético de Madrid para em seguida ser emprestado ao Villarreal.

Os números não mentem. Em 130 partidas pelo clube argentino, marcou nada menos que 50 gols. Na carreira ele totaliza 68. Logo, o assédio de outras equipes é compreensível. No entanto, os altos vencimentos são um entrave nas negociações. Uma renovação com o River Plate também parece improvável no momento. Borré tem interesse de voltar aos gramados europeus. Todavia, ainda não apareceu nenhuma proposta de relevo.

A investida do Grêmio por Borré

Primeiro gigante brasileiro a investir na contratação de Borré, o Grêmio não desistiu após uma negativa do estafe do centroavante. Renato Gaúcho vai além e ambiciona o promissor volante Zuculini. O Tricolor Gaúcho busca se reforçar em alto nível, especialmente para a disputa da Libertadores. A ideia é amadurecer os “guris” da base e trazer reforços pontuais que tenham condições de brigar pela titularidade no Imortal.

Nesse sentido, é importante ressaltar que a oferta gremista agradou. Pelo menos a segunda. De antemão, o Grêmio propôs US$ 4,5 milhões em luvas e US$ 1,5 milhão de salário (anual), além de um bônus por metas de contrato. Borré não gostou. Desse modo, uma nova proposta surgiu na mesa. Agora o Imortal oferece US$ 6 milhões de luvas e US$ 2 milhões de salário (anual). As bonificações também aumentaram. Até o momento é a pedida mais elevada.

A investida do Palmeiras por Borré

Atual campeão da Libertadores da América, o time de Abel Ferreira pretende construir uma hegemonia no futebol sul-americano. Por mais difícil que seja. O próprio River Plate é a prova viva disso. Afinal, nem a equipe praticamente imbatível de Marcelo Gallardo foi capaz de repetir os feitos memoráveis de Estudiantes de La Plata (tricampeão consecutivo de 1968 a 1970) e Independiente (tetracampeão consecutivo de 1972 a 1975).

Entretanto, há de se dar um desconto devido ao fato do campeão entrar diretamente na semifinal pelo regulamento da época. Dessa forma, era mais fácil fazer a defesa de título. Todavia, o Palmeiras espera manter a pose. Logo, a sondagem por Borré é natural. Desfalca um concorrente direto e fortaleceria um plantel já vencedor. O Verdão deu para trás quando tudo parecia certo. Alega que o fator financeiro pesou com a evolução da pandemia de COVID-19.

O que deve acontecer?

Por fim, a novela envolvendo o centroavante colombiano ainda deve ganhar mais alguns capítulos. O jogador só pode deixar o River Plate em julho, mês no qual vence o contrato com a equipe argentina. O Grêmio busca contar com seu futebol para os momentos decisivos na temporada. Primeiramente, temos que levar em consideração que Borré talvez precise de uma sequência para se adaptar ao Brasil. Nesse sentido, é necessário dar tempo ao tempo.

A qualidade é indubitável. Na minha opinião, um jogador completo como Borré pode acrescentar muito na equipe de Renato Gaúcho. A eficácia no passe em profundidade e o número de assistências são componentes a mais que poderiam funcionar a partir das triangulações com Ferreira e Pinares. Por outro lado, muita água vai correr por debaixo dessa ponte. Os próximos meses serão cruciais. Desse modo, aguardemos.

Foto destaque: Divulgação/Getty Images

Avatar
André Filipe
Apaixonado pela dimensão histórica do futebol e pela ciência da bola. Gremista desde a Batalha dos Aflitos para o que der e vier. Sinto na escrita o calor latente das minhas paixões profissionais. Historiador, jornalista esportivo e jogador de pôquer nas horas vagas.