Esta é uma semana importante para o Futebol Catarinense Feminino, pois pela primeira vez a equipe do Avaí Kindermann disputará uma Copa Libertadores da América, as Caçadoras Avaianas já estavam de olho na vaga há muito tempo. Após viverem o anseio da estreia, o técnico Jorge Barcellos e algumas atletas falaram em entrevista com a assessoria do clube sobre o entusiasmo e o que esperam nessa nova disputa. Confira!

Ansiedade Pré-Libertadores

Qual a expectativa para o início da competição?

“A Libertadores é uma competição muito especial, onde enfrentamos os melhores da América do Sul. Então a gente sabe que vai ser muito duro. Caímos num grupo muito forte e isso acaba sendo uma coisa muito boa, porque nos exige bastante nessa primeira fase.”- declarou o treinador Jorge Barcellos.

Como o grupo está para temporada 2021 e quais as metas?

“O grupo está muito bem preparado para qualquer coisa que acontecer, estamos focadas e ansiosas para que tudo comece. Tivemos algumas baixas, mas a direção conseguiu trazer meninas muito boas que só agregaram na base que ficou” – disse a experiente Tuani.

Qual o sentimento de disputar pela primeira vez o torneio?

“É uma responsabilidade grande estar aqui hoje, principalmente suprindo as meninas que saíram, pelo ano grandioso que tiveram no ano passado. E é isso, ansiedade de estar em campo, jogar logo, dar alegria e tirar um pouco do peso da estreia”- comentou a novata no grupo Gaby Soares.

Você imaginava estar disputando sua segunda Libertadores com 20 anos?

“Fui pro Audax em 2018 e com 17 anos estava disputando minha primeira libertadores, como titular. E foi uma experiência incrível. Eu já tinha ido com a Seleção disputar campeonato internacional, mas é algo totalmente diferente…. É incrível ter duas libertadores no mesmo ano e com 20 anos” – falou a zagueira Camila.

Além disso,  volante Tuane que está no clube à cinco anos e recordou o processo que viveu e criou uma história com o clube:

“Estar pra jogar uma Libertadores agora é muito importante. Ficaram apenas três atletas dos últimos cinco anos e o grupo mudou bastante, mas eu to bem confiante e acredito que vai dar tudo certo.”

Foto Destaque: Divulgação / Avaí Kindermann

 

Duda Lopes
Duda Lopes
Sempre pensei em trabalhar com algo que realmente amo, e acabei descobrindo isso com o Jornalismo Esportivo, ter a oportunidade de falar/escrever e principalmente vivenciar o meio esportivo é um presente, a ideia de torcer e trabalhar ao mesmo tempo me cativa. Entrei na faculdade de Jornalismo há pouco tempo (2020), porém de cara me identifiquei ainda mais com a profissão, ainda mais algumas oportunidades de escrever para laboratórios são muito importantes para praticar e ganhar cada vez mais experiência.

Deixe uma resposta