América-MG

Em dia de festa, o América-MG conquistou a tão sonhada vaga na Libertadores. O time bateu o São Paulo, por 2 x 0, na última rodada do Brasileirão, e sacramentou o 8° lugar. Assim, terá direito a jogar a fase prévia da maior competição continental da América do Sul. Aliás, essa é a primeira vez na história que o Coelhão atingiu esse feito.

Vitória diante do São Paulo

A partida contra o São Paulo, na última quinta-feira (9), era a mais importante da história recente do América-MG. A saber, uma vitória nesse jogo poderia colocar o time pela primeira vez na Taça Libertadores da América. E o clube não fez feio, convocou a torcida, distribuiu cerveja gratuita e até sorteou motocicletas.

Com cerca de 10 mil pessoas no Independência, o jogo começou tenso, com o América atacando muito mais que o desfalcado São Paulo. A tensão aumentou ainda mais quando o VAR chamou para analisar um possível pênalti para o Tricolor Paulista. Mas, o alívio veio com a confirmação de que não houve falta de Zé Ricardo em cima do argentino Calleri.

No entanto, o atacante Ademir resolveu a parada para o América-MG. Primeiro, aproveitou belo passe de calcanhar de Felipe Azevedo, e bateu no cantinho de Tiago Volpi. Em seguida, foi lançado, e driblou o goleiro do Tricolor para ampliar para 2 x 0. O time só precisou administrar o segundo tempo para não tomar o empate.

Primeira vez na Libertadores

Ao todo, o América-MG tem 17 participações na primeira divisão do Campeonato Brasileiro. A melhor delas aconteceu em 1973, quando o clube ficou em 7º lugar. No entanto, naquela época apenas duas equipes iam para a Taça Libertadores, que foram Palmeiras (campeão) e São Paulo (vice). Além disso, não existia a Copa Sul-Americana. Então, o Coelhão nunca teve mesmo oportunidade de jogar oficialmente fora do Brasil.

América-MG
América-MG joga contra o Corinthians no Brasileirão de 1973. (Foto: Reprodução / Superesportes MG)

Além disso, na história recente, o time se tornou “figurinha carimbada” das divisões de acesso. Mas, depois da “escadinha”, quando subiu da Série C para a Série B, em 2009, e depois para a Série A em 2010, o clube começou a se posicionar melhor no cenário nacional. Dessa forma, o América-MG disputou a primeira divisão do futebol brasileiro quatro vezes nos últimos 10 anos.

Ainda mais, o clube conseguiu permenecer na Série A pela primeira vez na história nesta temporada de 2021. E de quebra, conseguiu chegar à Libertadores, em 8º lugar, com 53 pontos.

Grandes nomes da campanha do América-MG

América-MG
Ademir em ação pelo América neste Brasileirão. (Foto: Divulgação / Mourão Panda)

Claro que, em uma campanha dessa, o maior responsável é todo o grupo de jogadores. No entanto, três jogadores se destacaram sobremaneira nessa classificação histórica do Coelhão.

Ademir, o grande craque do América-MG

De fato, este é o grande nome do time nesse Brasileirão. O atacante Ademir, ponta-direita, canhoto, de 26 anos, deu um verdadeiro show jogando com a camisa do América. Aliás, ele atuou o tempo todo com um pré-contrato assinado com o arquirrival Atlético-MG. O que não o impediu de se entregar em cada partida. Assim, o jogador acaba o campeonato com 31 partidas e 13 gols, sendo artilheiro do time.

Matheus Cavichioli, o paredão

América-MG
Matheus Cavichioli em ação pelo América-MG. (Foto: Divulgação / Mourão Panda)

Há uma máxima no futebol que diz: “todo grande time começa por um grande goleiro”. Assim, o América não deixou a desejar neste quesito. Pois, contou com o excelente Matheus Cavichioli, de 35 anos, que esteve lá para salvar quando a equipe precisou. Aliás, o narrador Dandan, do canal SporTV, o apelidou de CavichiNEUER, em alusão ao alemão arqueiro do BayernManuel Neuer.

Mauro Zárate, o refinado

América-MG
Mauro Zárate em ação pelo América. (Foto: Divulgação / Mourão Panda)

América era um time bom, mas quando o argentino Mauro Zárate chegou a equipe se tornou excelente. Certamente, um dos grandes nomes dessa equipe que encantou o Brasil. O meia-atacante acrescentou muito com seu refino técnico, que melhorou ainda mais as transições ofensivas do Coelho. Além disso, ainda colaborou com gols e assistências.

Foto destaque: Divulgação / América FC

Caian Oliveira
Minha paixão sempre foi o futebol. Mas, nunca sonhei em ser jogador. Não, meu sonho de moleque era levar o futebol às pessoas através da Comunicação. E aqui estou, realizando meu sonho.