abel

Em suma, na primeira partida da semifinal da Copa Libertadores, o Palmeiras decidiu se defender mais do que atacar. Decerto, mesmo jogando em seu estádio, a estratégia do treinador Abel Ferreira foi se manter vivo para a próxima partida. Em entrevista coletiva, Abel confirmou que o time entrou para segurar o ataque poderoso do Atlético-MG:

“Sim (se a estratégia deu certo), posso dizer o que queríamos. Nós sabemos que o Atlético tem um lateral que ataca muito, o Arana. E nossas transições eram por lá. Infelizmente não tivemos a capacidade de definir bem. Mas esse era o ponto forte do adversário, eles fazem boa parte dos gols a partir dos cruzamentos do Arana, é um jogador influente daquilo que é o produto final. O Atlético tem uma forma de jogar muito característica”. 

Ainda assim, mesmo elogiando a estratégia proposta, Abel também falou sobre as poucas chances que o ataque conseguir criar:

“Minha equipe foi muito inteligente sem bola, fomos astutos, perfeitos, uma equipe adulta, que sabe o que quer. Agora, com bola, aí é a questão que temos que ver onde melhorar. Mas isso do ponto forte do adversário era isso, tivemos transições no lado esquerdo. Mas a qualidade das decisões não foram as melhores. Tivemos essa oportunidade, três na primeira etapa. Era essa a nossa ideia, atacar o ponto mais forte do adversário porque é ali que ele dá espaço”.

Foto destaque: Reprodução/Palmeiras

Robert Ferreira
Sou o Robert! Fiz jornalismo para vivenciar histórias, estar dentro dos fatos e o principal, ter acesso a verdade, sempre! O esporte sempre esteve na minha vida, e unir a escrita com o futebol seria é o ideal de vida. Escrevi para redação do jornal universitário além de atuar fortemente nas redes sociais com posicionamentos sobre cultura negra. Sujeito calmo com o objetivo de ganhar o mundo!