Vampeta: o craque da camisa 5 do Corinthians

- O Velho Vamp é ídolo do Corinthians, pentacampeão mundial com a Seleção Brasileira e nunca deixou a polêmica de lado
Vampeta: o craque da camisa 5 do Corinthians

Esta semana, a coluna Nostalgia Brasileira conta a história de Marcos André Batista dos Santos, mais conhecido como Vampeta. O volante foi ídolo do Corinthians e teve uma boa passagem pelo PSV. No entanto, colecionou polêmicas durante a sua carreira, em especial, com o São PauloFlamengo.   

VAMPETA E SUAS ORIGENS

Vampeta nasceu em 13 de março de 1973na cidade de Nazaré, interior da Bahia. O jogador ganhou o apelido Vampeta quando perdeu seu primeiro dente. Naquela ocasião, ficou conhecido como “vampiro” e, devido a ser “muito feio”, também era chamado de “capeta”. Sendo assim,  a mistura dos dois apelidos fez surgir o Vampeta.
A carreira de Vampeta teve início em 1993, jogando pelo Vitória, quando tinha apenas 19 anos. Dessa maneira, jogou junto com jogadores que viriam a ser conhecidos futuramente, como Dida e Alex Alves. Em 1994, foi vice-campeão brasileiro, perdendo a final para o Palmeiras. Logo depois, transferiu-se para o PSV da Holanda.

Leia mais:

PSV: CURTO SUCESSO NA EUROPA

Vampeta chegou ao PSV em 1994. Porém, no início, o jogador não teve uma boa sequência de jogos. Sendo assim, o Velho Vamp foi emprestado ao Fluminense. Após dois anos, o atleta retornou ao clube holandês, em 1997. Dessa vez, tornou-se destaque do time, sendo campeão da Eredivisie e eleito o melhor volante do competição. Além disso, jogou 50 jogos e marcou cinco gols.

CORINTHIANS

Em 1998, Vampeta volta ao Brasil, mas, dessa vez, chegou ao Corinthians, o clube em que seria o divisor de águas da sua carreira. Sendo assim, Vamp formou o meio-campo do time junto com Marcelinho Carioca, Rincón e Ricardinho. A equipe conquistou o Campeonato Brasileiro (1998 e 1999), Campeonato Paulista (1999) e Campeonato Mundial (2000). Além disso, pelo Timão, o craque da camisa 5 fez 125 jogos e marcou 10 gols. Desse modo, com a sequência de boas atuações naquela época, foi convocado pela primeira vez para a Seleção Brasileira, pela qual foi campeão da Copa América de 1999.

FLAMENGO: MUITA POLÊMICA E POUCO FUTEBOL

Após nova passagem apagada pela Europa, em 2000, Vampeta vai jogar no Flamengo. Mas o clube vivia uma situação muito difícil financeiramente. Sendo assim, sua trajetória na Gávea durou pouco: foram apenas 16 jogos e somente um gol. Porém, antes de sair do time, Vamp deu uma declaração que não agradou muito a diretoria do Rubro-negro: “eles fingem que me pagam e eu finjo que jogo”. 

Contudo, a declaração do Velho Vamp não contribuiu em nada para o ambiente do time, que já era ruim. Então, o volante e outros jogadores que reclamavam publicamente dos salários atrasados saíram do clube. Por outro lado, a declaração do jogador serviu para que os futuros dirigentes do Flamengo usassem a frase como promessa política, dizendo que “aqui não vai acontecer mais o que o Vampeta disse”.

CORINTHIANS: O BOM FILHO A CASA TORNA 

Após sua fatídica passagem pelo Flamengo, em 2002, Vampeta retorna ao Corinthians. Sendo assim, em sua segunda ida ao Timão, foi campeão da Copa do Brasil e do Torneio Rio-São Paulo, além de ter sido vice-campeão do Campeonato Brasileiro.

Além disso, Vampeta foi convocado para Copa do Mundo de 2002. No entanto, o jogador não era titular absoluto do time. Contudo, suas ótimas atuações pelo Corinthians fizeram com que seu nome estivesse na lista dos 23 jogadores chamados para disputar o mundial. Desse modo, durante a Copa, o Velho Vamp jogou apenas 22 minutos, na estréia da Seleção contra Turquia. Em suma, no final, o Brasil se consagrou campeão, conseguindo o tão esperado pentacampeonato.

TERCEIRA PASSAGEM PELO TIMÃO

Após ter uma saída conturbada em 2003, Vampeta passou por alguns clubes brasileiros, como Vitória, Goiás e Brasiliense. Porém, o jogador não teve uma boa sequência de jogos. Dessa forma, o ídolo corinthiano voltou ao Parque São Jorge em 2007. Entretanto, sua terceira passagem pelo Alvinegro paulista não foi boa. O clube não vivia um bom momento e o Velho Vamp foi contratado para ajudar o time no Campeonato Brasileiro. Mas não conseguiu e o pior de tudo: viu a equipe ser rebaixada para a Série B.

POLÊMICAS E FATOS INUSITADOS

Como sabemos, a Seleção Brasileira foi pentacampeã mundial em 2002, mas o destaque de Vampeta não ocorreu dentro das quatro linhas. Ao voltar ao Brasil, a Seleção fez uma escala em Brasília para ser recepcionada pelo então Presidente da República Fernando Henrique Cardoso e exibir a taça na rampa do Planalto. Porém, Vampeta, com tamanha alegria, resolveu descer a rampa dando cambalhotas. Desde então, a cena ficou muito marcada na carreira do atleta e na memória do povo brasileiro. Após o ocorrido, o volante deu uma entrevista dizendo: “Vim bebendo desde o Japão e cheguei no Palácio ‘para lá de Bagdá'”.

A carreira de Vampeta foi repleta de polêmicas. Desse modo, ainda quando atuava pelo Corinthians, em 2000, ao ser questionado em uma entrevista sobre o Timão ter disputado quase todos os clássicos da competição, restando somente o São Paulo, disse: “Agora só faltam os bambis”A partir daí, popularizou-se o apelido homofóbico aos São-paulinos.

Dessa forma, as suas maiores polêmicas eram com o São Paulo. Diante disso, em 2007, Vampeta foi rebaixado com o Corinthians, mas ganhou do São Paulo, quebrando um jejum de quatro anos contra o rival. Depois da vitória, Vampeta disse: “O Souza é um otário com sorte. Ele tem sorte porque é um jogador fraco ao lado de grandes jogadores. Mas também é otário por vestir a camisa do São Paulo“. Souza rebateu: “Ele é um otário sem sorte”.

APOSENTADORIA 

Por fim, Vampeta pendurou as chuteiras em 2010. Posteriormente, tentou a carreira de treinador assumindo o Nacional-SP, mas não teve sucesso. Dessa forma, o ex-jogador iniciou a carreira de comentarista esportivo, comentando a Copa do Mundo de 2010 pela Jovem Pan, emissora de rádio na qual trabalha até hoje. Além disso, Vamp virou empresário e presidente do clube Grêmio Osasco, atual Audax.

Foto destaque: Reprodução/Arquivo Celso Unzelte

Leonardo Lopes da Silva

Sobre Leonardo Lopes da Silva

Leonardo Lopes da Silva já escreveu 59 posts nesse site..

Estudante de jornalismo na Universidade Anhembi Morumbi. Eu escolhi jornalismo porque me identifico muito com os ofícios desta profissão. Aos 10 anos , tive a minha primeira experiência sendo fundador de uma rádio comunitária. Pretendo seguir minha carreira na editoria de esportes. Instagram - @leo_lopes77

BetWarrior


Poliesportiva


Leonardo Lopes da Silva
Leonardo Lopes da Silva
Estudante de jornalismo na Universidade Anhembi Morumbi. Eu escolhi jornalismo porque me identifico muito com os ofícios desta profissão. Aos 10 anos , tive a minha primeira experiência sendo fundador de uma rádio comunitária. Pretendo seguir minha carreira na editoria de esportes. Instagram - @leo_lopes77

Artigos Relacionados

Topo