Top 5 Ídolos do futebol: Atlético-MG

Nesta semana na coluna Nostalgia Brasileira, enumeramos os cinco craques da história do Atlético-MG. Primeiramente, escolher cinco nomes, de tantos que já ajudaram a fazer a história do Galo mais bonita, é uma responsabilidade e tanto. Uma vez que, para enaltecer os melhores, sempre fica um quê de alguma forma merecia fazer parte do pódio. Mas, como é necessário falar dos cinco maiores, vamos mostrar o porquê de eles fazerem parte desta lista tão cobiçada na história do clube. Dentre os cinco que mais se destacaram no Atlético, acima de tudo, aqueles que a torcida não esquece de forma nenhuma, estão Taffarel, Ronaldinho, Marques, Dadá Maravilha e Reinaldo.

5 – O GRANDE TAFFAREL

O goleiro Taffarel é um dos grandes da história do Atlético-MG. Quando contratado, foi a compra mais cara da história do futebol brasileiro para um jogador de sua posição. Em suma, o herói do tetra parou a cidade de Belo Horizonte em sua chegada, e foi idolatrado pela Massa Atleticana. Entre alguns milagres e exibições memoráveis, conquistou dois Campeonatos Mineiros, a Copa Conmebol e a Copa Centenário de BH. Nessa última, o Galo encarou o Milan de George Weah, e venceu o Cruzeiro.

4 – O BRUXO RONALDINHO GAÚCHO

À primeira vista, ele podia não estar no auge de quando jogou no Barcelona nem nos seus melhores momentos com a camisa da Seleção Brasileira, mesmo assim Ronaldinho foi espetacular no Atlético-MG, e fez história. Além de conquistar títulos inéditos e fazer mágicas em campo, o craque devolveu o sorriso e a alegria à Massa Alvinegra. Impossível falar da conquista da Copa Libertadores de 2013 sem citar o jogador como referência.

3 – O LENDÁRIO MARQUES

Em três passagens pelo Atlético, Marques foi um dos grandes ídolos do clube na década de 1990 e nos anos 2000. Em síntese, o atacante fez duplas infernais com Valdir Bigode e Guilherme. Além do talento das grandes jogadas e das assistências, também marcou muitos gols. Acima de tudo, é o nono maior artilheiro da história do Galo. Pena que jogou em uma das épocas mais difíceis pela qual o clube passou, ficando sempre no “quase” em grandes conquistas nacionais. Ganhou apenas uma Conmebol, a Copa Centenário de Belo Horizonte e três Campeonatos Mineiros. Entretanto, nada que diminua a grandeza do jogador.

2 – O IMBATÍVEL DADÁ MARAVILHA

O jogador podia não ser um exemplo de técnica e lances bonitos, mas sabia fazer gols como ninguém. Não à toa, o eterno atacante sempre dizia: “Não existe gol feio, feio é não fazer gol.” Além das várias fases históricas, Dadá é o segundo maior artilheiro do Galo em todos os tempos e marcou o gol do título do Brasileirão, em 1971.

1 – O REI… NALDO

Enfim, em primeiro lugar, o camisa 9 mais genial e extraordinário da história do Atlético. Qualidade técnica, habilidade, posicionamento, inteligência, movimentação, explosão, bom com as duas pernas, excelente finalizador… Impossível escolher apenas uma palavra para descrever o Rei, já que ele tinha tudo isso e muito mais. Era um jogador mais do que fenomenal. Uma pena que as lesões acabaram o  prejudicando tanto. Além disso, não conquistou nenhum título gigante pelo Galo como merecia. Ainda assim, é um dos maiores de todos os tempos e o grande ídolo da história alvinegra.

Foto Destaque: Reprodução/Imortais do Futebol

Rhaíssa Oliveira
Rhaíssa de Oliveira Cortes, mineira de 30 anos, jornalista em formação e apaixonada por esportes, sobretudo amante do futebol. Resolvi fazer da minha paixão pelo esporte a minha profissão. Ouço muito que arquibancada e futebol não são coisas de mulher, e é por isso que vou descer da arquibancada e cobrir os jogos de dentro do campo!

Artigos Relacionados