Antes de mais nada, o Futebol na Veia traz a cobertura completa da tabela da Sul-Americana , desde o seu início, com a fase pré, que começou em 8 de março, até sua decisão em 1° de outubro. Assim, veja abaixo a classificação sul-americana:

História da Copa Sul-Americana

Em primeiro lugar, a Copa Sul-Americana, também conhecida internacionalmente como Copa Sudamericana, é o segundo certame de maior importância na América do Sul. Por certo, até chegar no formato atual, similar a Libertadores, mas com a importância continental de uma Europa League, muitas coisas aconteceram. Em suma, foram diferentes formatos de disputa e até outros nomes já fizeram parte da copa. Portanto, confira detalhes da história da tabela Sul-Americana.

Recopa Sul-Americana de Clubes (1970)

Antes de tudo, a primeira tentativa de uma competição de segundo escalação continental foi a Recopa Sul-Americana de Clubes, no ano de 1970. Por certo, o torneio era composto pelas equipes que ficassem em 3º lugar em suas competições nacional. Entretanto, nem todos os países enviaram seus representante.

Portanto, o campeão foi o boliviano Mariscal Santa Cruz. Contudo, o título do clube só acabou sendo reconhecido pel CONMEBOL em 2005. Ademais, em 1971, a copa saiu do calendário oficial e passou a ser um torneio amistoso.

Supercopa Sul-Americana (1988-1997)

Em resumo, também conhecida como Supercopa Libertadores, foi a segunda copa de maior importância continental durante o tempo de disputa. Decerto, esta que reunia as equipes campeãs de Libertadores. Assim, o campeão jogava contra o detentor do título da maior copa da América do Sul na Recopa Sul-Americana.

Mas, apesar da falta de prestígio, bagunça na organização e ser considerada uma copa importante, a Supercopa sempre foi criticada por seu critério de participação depender de um título da Liberta. De fato, muitos excelentes clubes não jogavam o torneio por não terem ganho a maior copa do continente. Bem como, GrêmioEstudiantes (ARG) jogaram o torneio estando na Série B nacional.

Contudo, os campeões foram: Racing, da Argentina, batendo o Cruzeiro, do Brasil, na final, em 1988. Além disso, os cruzeirenses venceram a copa duas vezes: em 1991 e 1992. Decerto, o Boca Juniors venceu em 1989, dando o vice ao Independiente, este que ganhou o título em 1994 e 1995, este último com o Flamengo como vice-campeão.

Ainda mais, o Olímpia, do Paraguai, venceu em 1990, o São Paulo ganhou em 1993, novamente com o Fla sendo vice. Mas o Tricolor Paulista amargou o vice em 1997 para o River Plate. Por fim, o Vélez Sarsfield em 1996 foi campeão em cima do Cruzeiro, antes do River vencer a última edição.

Copa CONMEBOL (1992-1999)

Primeiramente, a Copa CONMEBOL aconteceu entre os anos de 1992 e 1999. Dessa forma, 16 ou 18 equipes, sempre no sistema eliminatório, disputavam a copa até definir um campeão. A saber, era uma espécie de campeonato de terceiro escalão continental. Nesse ínterim, se classificavam para a competição equipes que não garantiam vaga na Liberta.

De fato, brasileiro e argentinos dominaram a copa durante seu período de disputa. A princípio, o primeiro campeão foi o Atlético Mineiro, batendo os paraguaios do Olímpia nas finais, em 1992. Por outro lado, o Peñarol, do Uruguai, chegou às finais de 1993 e 1994, mas foram derrotados, respectivamente, por Botafogo-RJ São Paulo. Em contrapartida, 1995 e 1996 os campeões foram argentinos.

Assim, o Rosário Central venceu o Galo nos pênaltis em 1995, com um 4 x 0 para cada lado nos jogos em casa e fora. Por certo, no ano seguinte, o Lanús bateu os colombianos do Santa Fe. Mas o Atlético-MG voltou a ser campeão em 1997, vencendo o Lanús. Bem como o Santos foi o responsável por vingar o Galo em 1998, vencendo o Rosário Central na final.

Por fim, o último campeão foi o Talleres, de Córdoba, na Argentina, batendo o CSA na final, algo incrível para os alagoanos. Ainda mais importante é ressaltar que o Sampaio Correa, do Maranhão, e São Raimundo, de Manaus-AM, foram semifinalistas em 1998 e 1999, nesta ordem, um feito histórico para as equipes.

Copa Mercosul e Copa Merconorte (1998-2001)

A princípio, as duas copas foram disputadas em paralelo, mas não tiveram o grande prestígio que se esperava. De fato, as quatro edições serviram como modelo para criar a Copa Sul-Americana, em 2002, que substituiu ambas desde sua criação e reorganizou o calendário internacional.

Copa Mercosul

Em primeiro lugar, estas copas foram mais uma tentativa de criar calendário internacional para outras equipes. Contudo, não teve grande sucesso. Por certo, era a segunda competição sul-americana de maior importância.

Dessa forma, países do Mercosul (Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai, além do Chile como associado) disputariam a copa. Assim, os clubes que não fossem a Libertadores, iriam à Copa Mercosul.

Então, o Palmeiras foi o primeiro campeão, em 1998, vencendo o Cruzeiro na final. Bem como, foi vice em 1999 e 2000, perdendo às finais para Flamengo e Vasco da Gama, nesta ordem.

Por fim, na última edição do torneio, em 2001, o San Lorenzo tornou-se campeão, deixando o Flamengo com o vice, além de CorinthiansGrêmio que ficaram pelas semifinais.

Copa Merconorte

Sob o mesmo ponto de vista da Copa Mercosul, a Copa Merconorte reunia países que não faziam parte do Mercosul. Assim, faziam parte do Merconorte.

Portanto, tinha equipes de países como Colômbia (que dominou por completo o torneio), Equador, Peru, Bolívia e Venezuela. Além disso, jogam também equipes convidadas dos Estados Unidos e do México (pela América do Norte) e da Costa Rica (pela América Central).

Entretanto, como dito outrora, os colombianos dominaram a copa, chegando a todas as finais com dois times. Nesse ínterim, em 1998, o Atlético Nacional foi campeão em cima do Deportivo Cali.

Mas ainda teve em 1999 o América de Cali batendo o Santa Fe na final. Bem como, em 2000, o Atlético Nacional voltou a vencer, batendo o Millonarios. Por fim, o Millonarios foi campeão em 2001, em cima do Emelec.

Copa Sul-Americana (2002-atualmente)

Antes de mais nada, a Copa Sul-Americana surgiu em 2002, como uma tentativa de ser uma copa secundária em paralelo a Libertadores. Dessa forma, a tabela da Sul-Americana daria calendário e bagagem às equipes que não tiveram acesso a maior copa da América do Sul.

De fato, a tabela da Sul-Americana era, em um momento inicial, composta apenas por fases eliminatórias, com confrontos de ida e volta entre as equipes de segundo nível do continente. Em suma, vale ressaltar que, entre 2002 e 2008, a CONMEBOL tentou, sem sucesso, unir as Américas neste certame, com o nome de Copa Pan-Americana de Clubes, assim como aconteceu na Liberta, onde logrou êxito no projeto.

Ademais, a partir de 2017, o certame teve uma reformulação. Assim, passou a ocorrer durante toda a temporada em paralelo à Libertadores. Além disso, 12 equipes eliminadas  da Liberta vão à Sula. A princípio, os 3ºs lugares da fase de grupos e os quatro eliminados na Pré-Libertadores são promovidos à tabela da Sul-Americana.

Sistema de disputa da tabela da Sul-Americana

Antes de mais nada, desde 2021, a tabela da Sul-Americana deixou de ser apenas mata-mata, tendo uma fase preliminar. Então, a classificação Sul-Americana fica da seguinte maneira:

  • Em primeiro lugar, 56 equipes, no total, jogam a tabela da Sul-Americana;
  • Além disso, 44 clubes vão ao torneio por classificação nacional, sendo que:
    • 12 – Argentina (6) e Brasil (6) vão direto para a fase de grupos;
    • 32 – Bolívia (4), Chile (4), Colômbia (4), Equador (4), Paraguai (4), Peru (4), Uruguai (4) e Venezuela (4) disputam nacionalmente duas vagas por país na fase de grupos.
  • Bem como, 12 equipes entram mais tarde vindas da Libertadores:
    • 4 – Quatro equipes eliminadas na fase preliminar da Libertadores, a famosa Pré-Libertadores
    • 8 – Outras oito equipes que ficarem em 3º lugar na fase de grupos da Libertadores avançam à tabela Sul-Americana.
  • Ainda mais 32 equipes disputam a 1ª fase. De fato, quatro times por país disputam duas vagas para ir à fase de grupos;
  • Assim, 16 equipes classificadas da 1ª fase se juntam às outras 12 (Argentina e Brasil com seis clubes cada) garantidas por competições nacionais e outras quatro vindas da Pré-Libertadores;
  • Mas apenas o 1º colocado de cada grupo avança às oitavas de final, onde enfrentam os oito 3ºs colocados da fase de grupos da Libertadores;
  • A saber, a fase eliminatória acontece em sistema de ida e volta;
  • Por fim, a final é disputada em jogo único e campo neutro.

Confira todos os campeões da Sul-Americana

De antemão, o único clube campeão seguido da tabela da Sul-Americana foi o Boca Juniors (2004 e 2005). Mas há outras duas equipes com dois títulos: o Independiente (2010 e 2017) e o Athletico-PR (2018 e 2021). Dessa forma, o torneio conta com 17 campeões de sete países. Assim, teve uma sequência de 12 campeões distintos em 12 anos: 2005 a 2016. Portanto, confira todos os campeões da Sul-Americana:

Clube País Títulos

Boca Juniors

Argentina

2 (2004 e 2005)

Athletico Paranaense

Brasil

2 (208 e 2021)

Independiente

Argentina

2 (2010 e 2017)

River Plate

Equador

1 (2009)

River Plate

Argentina

1 (2014)

Lanús

Argentina

1 (2013)

São Paulo

Brasil

1 (2012)

Internacional

Brasil

1 (2008)

San Lorenzo

Argentina

1 (2002)

Santa Fe

Colômbia

1 (2015)

Cienciano

Peru

1 (2003)

Pachuca

México

1 (2006)

Arsenal de Sarandí

Argentina

1 (2007)

Universidad de Chile

Chile

1 (2011)

Chapecoense

Brasil

1 (2016)

Independiente del Valle

Equador

1 (2019)

Defensa y Justicia

Argentina

1 (2020)

Julio