Sylvinho fala sobre críticas do seu trabalho: "Incompetente, não"

Antes de mais nada, o Corinthians encerrou a temporada com a classificação para a fase de grupos da Libertadores. Sendo assim, a diretoria corintiana pretende reforçar o plantel, e o técnico Sylvinho, em entrevista para a Rádio Bandeirantes, deu pistas sobre o novo reforço.

“No futebol dá para jogar todo mundo junto. Depois eu tenho que quebrar a cabeça, mas todo mundo pode jogar com todo mundo. Depois vamos fazer as melhores escolhas e usar o Paulinho dentro das características dele, que são muito boas”, disse Sylvinho.

Posteriormente, o Timão ainda busca um nove, pois é uma posição carente no elenco alvinegro. Com isso, a equipe paulista até se interessou em Talisca, porém Al-Nassar pagou a parte do salário atrasado do brasileiro.

“Como centroavante, não (poderia em usar o Talisca). Eu perdi um pouco o rastro do atleta, estivemos monitorando ele em 2017 e 2018 pela Seleção. Perdi um pouco o rastro do atleta, quando você está trabalhando e mergulhado, é difícil. Mas ele é meio-campista. Se me colocaram como 9, não”, avaliou.

Além disso, o setor defensivo como apontou o técnico, precisa de mais uma peça na posição.

 “Nós tivemos ali ao longo de seis meses de trabalho o João Victor e Gil como titulares, e o Raul Gustavo na iminência de entrar se houvesse suspensão ou lesão. O Léo Santos perdeu parte da temporada porque vinha de um processo de transição de lesão, e vínhamos treinando o Xavier como zagueiro, que é uma posição muito difícil de adaptar”,  ressaltou.

SYLVINHO SOBRE AS CRÍTICAS

Por fim, o treinador desabafou sobre os comentários da torcida e parte da imprensa em relação ao seu trabalho no Corinthians.

“Sou seguro, não tenho problema de falar de circunstâncias e situações. Nós penamos, não só o Sylvio, mas comissão técnica. Incompetente, não. Me chame do que quiser. Incompetente, não. Desde 2011 estou fazendo isso. “Ah, não como primeiro (da comissão técnica)”. Mas peguei os melhores, cara. Burro? O meu pai chama de burro, deixa chamar. Incompetente vai na alma. Você fica 11 anos fazendo isso, estudando, tem 15 de profissional de altíssimo nível, trabalha com Tite, Mano Menezes, com Roberto Mancini, faz Copa do Mundo, entrega um trabalho de Copa América, trabalha lá fora… Incompetente? Pô, você está de brincadeira. Tenho muitas horas de voo. Doriva (auxiliar) é incompetente? Campeão paulista com o Ituano, faz 10 anos que é treinador, campeão carioca com o Vasco, diversos clubes do Brasil. Fernando Lázaro (auxiliar) é outro. Incompetente? Falei para os dois: “Estão me chamando por aí, mas vocês dois também são“, concluiu.

Foto destaque: Divulgação/Marcos Ribolli

Juan Camilo
Meu nome é Juan Pablo, tenho 19 anos e estudo Jornalismo na Universidade Anhembi Morumbi (UAM). O jornalismo é um privilégio de estar nessa área incrível. Amo futebol, basquete, jogos antigos. Meu objetivo é conseguir ser um dos melhores jornalistas e ser correspondente esportivo.
https://linktr.ee/juanpablocamilo