Hernane Brocador

Em meio a pandemia da Covid-19, os problemas financeiros no Sport se acumulam exponencialmente. Se já não bastasse os processos trabalhistas, as repactuações de dívidas e os atrasos salariais, agora, o Leão pode perder uma de suas principais peças no elenco. Isso porque, em entrevista ao programa Globo Esporte Pernambuco, o atacante Hernane Brocador deu indícios de que pode está deixando o Rubro-Negro ainda antes da volta aos treinos.

Leia mais:

Assim, o artilheiro do Sport na última temporada confessou que está chegando em seu limite diante da falta de pagamento dos salários que já haviam sido repactuados no começo do ano. Logo, Hernane Brocador revelou que chegou a hora de pensar mais em si do que no clube:

Acho que chegou o momento de eu pensar um pouco em mim também. Estou há quase dois anos pensando no clube. Conseguimos o acesso, mas as coisas não aconteceram como eu esperava“, afirmou Brocador.

Dessa forma, o “pensando no clube” dito pelo jogador se traduz nas renúncias que teve que fazer desde que retornou ao Sport em agosto de 2018. Assim, naquela ocasião, Hernane Brocador vinha de um ano ruim pelo Bahia e Grêmio. Chegou ao Leão na reta final da Série A, mas não conseguiu evitar o rebaixamento. Apesar disso, aceitou uma redução salarial para ficar no Rubro-Negro e recolocá-lo na elite. Prometeu e cumpriu, indo mais além sendo artilheiro da temporada com 23 gols marcados em 45 partidas. Além disso, recusou propostas de times da primeira divisão para continuar no clube. Enquanto que na atual temporada, mesmo sem o brilho de antes, já anotou quatro tentos em 11 jogos.

EM CONVERSA FRANCA, O DESEJO DE SAIR DO SPORT

Ainda, Hernane Brocador confessou que teve uma conversa amistosa e sincera com o presidente do Sport, Milton Bivar, no qual expôs sua situação e que pretende deixar o Leão, caso surja uma proposta vantajosa para o atacante. Além disso, o artilheiro revelou que o Rubro-Negro está lhe devendo dois meses de salários:

Estou desde o dia 5 de agosto de 2018, quando cheguei no clube, que não não recebo boa parte do meu salário. Então, já pensei muito no clube. O presidente conversou e disse: ‘Hernane, se chegar algo que te agrade, você senta e me explica a situação, que nós vamos tentar resolver da melhor maneira'. (…) Conversei com ele, a gente sabe que no momento difícil, você pode ali tentar amenizar um pouco, amenizar a dívida, mas depois tem que regularizar, porque acho que é difícil para nós também.” – confessou.

Logo, a crise financeira que já era a maior de sua história recente, se agigantou com a paralisação do futebol diante da pandemia da Covid-19. Apesar disso, o Sport segue tentando honrar os compromissos. Assim, mesmo com a redução nas receitas, o Leão pagou os meses de fevereiro e parte de março, tendo o restante de março e abril em aberto e já tendo junho a vencer. No balanço financeiro divulgado em abril, o Rubro-Negro revelou uma dívida de 145 milhões de reais que deve ser pagar em até 12 meses. Sobre isso, Hernane Brocador falou:

Não só eu, como todos os atletas, sabemos a situação do clube, é um momento difícil. Infelizmente, o presidente Milton pegou o clube em uma situação que falaram para ele que estava assim, e quando chegou e viu, até se assustou. Mas ele vem tentando fazer o possível para tentar honrar com as suas obrigações. Sabemos que é difícil. Temos algo a receber ainda, mas ele vem fazendo o possível para tentar honrar com as obrigações. Eu acho que nem é culpa dele, ele sentou na cadeira, assumiu as dívidas, mas já pegou o clube numa questão muito difícil.” – disse.

https://www.instagram.com/p/CAvvlCpgAkJ/?utm_source=ig_web_copy_link

HERNANE BROCADOR

Desse modo, revelado pelo Atibaia, clube da cidade paulista de Americana, Hernane Brocador apareceu para o futebol nacional em 2013 pelo Flamengo. Isso porque, no clube carioca, marcou 36 gols em 58 partidas, sendo o artilheiro da equipe naquela temporada. Além disso, foi vice-artilheiro do Brasileirão e o maior goleador da Copa do Brasil, conquistada pelo Urubu com gol do atacante na final e hat-trick nas quartas de final.

Após, teve uma passagem rápida pelo Al Nassr, da Árabia Saudita, até chegar ao Sport. Em sua primeira passagem, não teve muitas oportunidades diante da boa fase do atacante André, mas ainda marcou quatro gols em 17 jogos. Em seguida, voltou a grande fase no Bahia, em 2016, anotando 21 tentos em 46 partidas. No entanto, não manteve o momento nos anos seguintes, enfrentando lesões. Tentou um recomeço no Grêmio, mas, novamente, não conseguiu espaços e retornou ao Leão da Ilha.

Foto destaque: Reprodução / Anderson Stevens – Sport Club do Recife

Ricardo do Amaral
"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

Artigos Relacionados