Sem Hélio dos Anjos, auxiliar minimiza pressão sobre a Ponte diante de Mineirão lotado

Antecipadamente, a Ponte Preta tem um desafio nesta quinta-feira (16). Do mesmo modo, o time vai enfrentar o líder Cruzeiro no Mineirão. Assim como, sem Hélio dos Anjos, a Macaca terá no comando Guilherme dos Anjos auxiliar e filho de Hélio assumirá o lugar do pai, expulso no jogo contra o Londrina.

Ou seja, Guilherme falou sobre as expectativas para a partida no Mineirão com 60 mil cruzeirenses.

“A gente vai tentar minimizar os pontos positivos do adversário. Além do empenho e do nível de concentração muito alto. Enfrentar um adversário que tem um ótimo retrospecto em casa. A gente busca lembrar os jogadores dos momentos em vivemos circunstâncias parecidas. Como no jogo com o Bahia, em que tivemos um bom desempenho”

Em outras palavras, o auxiliar resumiu que todo atleta tem o sonho de jogar uma partida como essa. Por outro lado, a Ponte terá muitos desfalques, o lateral-direito Bernardo e o zagueiro Thiago Oliveira, expulsos contra o Londrina, e o atacante Lucca, artilheiro da Série B, que levou o terceiro amarelo, estão suspensos. Além disso, o atacante Danilo Gomes está em tratamento por conta de dores musculares.

Sem Hélio dos Anjos, auxiliar minimiza pressão sobre a Ponte diante de Mineirão lotado

Contudo, Guilherme disse que o lateral-direito Norberto, desfalque no último jogo por conta de dores na coxa, e o volante Amaral, recuperado de dores no tornozelo, estão em condições de jogo. No entanto, não deu dicas sobre a escalação.

A gente tem uma equipe, um grupo. Vai além de 11 atletas. As mudanças das peças ocorrerão por necessidade, naturalmente. Agora, as mudanças táticas e transformações serão vistas em campo, não posso aqui detalhar antes do jogo o que estamos fazendo nos treinos”.

Nesse ínterim, o auxiliar, diz que a equipe alvinegra ainda precisa atingir um padrão de jogo sem oscilações para sair desta situação:

“Temos sofrido oscilação dentro dos jogos e entre as partidas. Temos atuações com 85 minutos muito bons e cinco ruins, por exemplo. Quando a gente não oscilou, saímos com a vitória. O objetivo é alcançar um padrão, tem um jogo mais homogêneo. Quando não oscilamos dentro das partidas, saímos com a vitória “, concluiu.

Foto destaque: Divulgação/Diego Almeida/PontePress

Ainah Carvalho
Jornalista, apresentadora e apaixonada por futebol! Desde pequena eu sabia que tinha nascido para atuar em algo ligado ao esporte e cada vez mais tenho certeza que quero isso pra mim.

Deixe um comentário