Seleção da década do Campeonato Brasileiro

O Campeonato Brasileiro começou em 1959 com o nome de Taça Brasil. Dessa maneira, diversos jogadores fizeram história nessa liga. Na última década, grandes atletas marcaram presença nos gramados brasileiros. Então, confira a seleção nos últimos 10 anos da principal competição do país.

1: Fábio (Cruzeiro)

Antes de mais nada, vamos começar a seleção da década com o arqueiro do Cruzeiro que fez história. Afinal, o goleiro esteve naquele grande time da Raposa de 2013 e 2014. Além disso, Fábio ganhou bastante destaque pelas defesas difíceis e também por pegar pênaltis em jogos decisivos. Um símbolo para o Cruzeiro e sempre teve respeito dos torcedores. Principalmente no momento mais difícil da equipe.

Em resumo, são 839 jogos – 205 sem sofrer gols. O arqueiro conquistou duas vezes Campeonato Brasileiro (2013 e 2014) e levantou dois títulos da Copa do Brasil (2017 e 2018). Contudo, o camisa 1 não recebeu oportunidades na Seleção Brasileira. Atualmente, Fábio tem 40 anos de idade. E parece que está longe de pendurar as luvas. Afinal, foi eleito por voto popular como o melhor goleiro do Campeonato Mineiro 2021. É claro, o atleta agradeceu os torcedores nas redes sociais.

2: Fagner (Corinthians)

Odiado por alguns, amado por outros. Essa é a carreira de Fagner. O lateral-direito começou a década no Vasco, do Rio de Janeiro. Entretanto, após uma pequena passagem pelo VfL Wolfsburgo, da Alemanha, o jogador foi apresentado pelo Corinthians. Então, rapidamente, começou a mostrar um bom futebol pelo Timão. O grande desempenho no ataque e na defesa fizeram com que o atleta fosse convocado para disputar a Copa da Mundo, na Rússia. Além disso, também estava no elenco campeão da Copa América de 2019.

O lateral-direito é ídolo dos corintianos e um dos principais nomes da reconstrução do time na última década. Disputou 400 partidas, com nove gols e 27 assistências. Conquistou uma Copa do Brasil pelo Vasco (2011), duas vezes o Campeonato Brasileiro pelo Timão (2015 e 2017) e Campeonato Paulista (2017 e 2019).

https://twitter.com/Corinthians/status/1392235593569013760?s=20

3: Pedro Geromel (Grêmio)

Em 2016, um zagueiro desconhecido estava sendo anunciado pelo Grêmio. O defensor jogava pelo 1. FC Köln, da Alemanha. Entretanto, não mostrou um bom futebol na Europa. Então, no Brasil, Geromel mostrou uma grande habilidade. Além disso, a liderança dentro de campo é um dos grandes pontos do Pedro. O zagueiro esteve em alta durante cinco anos. Titular incontestável na grande era do Renato Gaúcho no comando, ganhou diversos títulos com o Grêmio, como três vezes o Campeonato Gaúcho, a Copa Libertadores de 2017, a Recopa em 2018 e a Copa do Brasil de 2016.

Em resumo, jogou mais de 300 jogos com a camisa do Grêmio, marcou nove gols e deu cinco assistências. Sem dúvidas, possui um grande carinho da torcida e merece estar na seleção da década.

4: Dedé (Cruzeiro e Vasco)

Primeiramente, é claro, Dedé sofreu com algumas lesões durante a década. Todavia, o zagueiro jogou muito durante a grande fase da Raposa. Além disso, também foi muito bem no Vasco. Durante a grande época do Cruzeiro, o defensor esteve entre os mais dominantes do futebol brasileiro. Em 2013 e 2014, Dedé fez parte da seleção do Campeonato dos respectivos anos. Afinal, o defensor central não deixava os atacantes sossegados. Conquistou Copa do Brasil (2017 e 2018), Campeonato Brasileiro (2013 e 2014) e Campeonato Mineiro (2014, 2018 e 2019).

https://twitter.com/Dedevital/status/844411024933564418?s=20

5: Filipe Luís (Flamengo)

Uma das posições mais carentes do futebol mundial, a posição de lateral-esquerdo teve bons nomes no Brasil. Reinaldo, do São Paulo, Jorge, do Santos, e Filipe Luís jogaram um bom futebol na década. Todavia, o atleta do Flamengo mantém uma regularidade há muito tempo.

Chegou em 2019 no Flamengo e rapidamente conquistou a posição entre os 11 principais. Um dos melhores defensores da história do Atlético de Madrid, Filipe mostrou ótima qualidade pelo lado esquerdo do campo. Dessa maneira, a equipe do Rio de Janeiro dominou o futebol brasileiro durante dois anos.

6: Renato Augusto (Corinthians)

O meio-campista Renato Augusto chegou ao Corinthians em 2013. Todavia, poucos torcedores conheciam o atleta. Além disso, no início da trajetória, o brasileiro sofreu com lesões, o que fez com que perdesse espaço no elenco. Entretanto, logo depois, Renato conseguiu recuperar o físico e começou a jogar muito no Timão. Com função de um camisa 8, Augusto conquistou títulos e respeito dos torcedores. Ganhou o Campeonato Brasileiro de 2015. É claro, o jogador foi muito importante na campanha. Por fim, o meio-campista foi eleito o melhor atleta da competição.

Após o grande 2015, no ano seguinte Renato foi chamado para jogar na Seleção Brasileira e disputar as  Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018. Também fez parte do elenco que conquistou o inédito ouro olímpico de 2016. No total, foram 127 partidas, 15 gols e 27 assistências. Assim, o brasileiro faz parte da seleção da década.

https://twitter.com/SofaScoreBR/status/1394665959655358466?s=20

7: Everton Ribeiro (Cruzeiro e Flamengo)

Everton Ribeiro foi eleito o melhor jogador do Campeonato Brasileiro de 2013 e 2014. Ao lado do Cruzeiro, o atleta fez grandes jogos. Um dos gols mais bonitos da década é de Everton. No jogo entre a Raposa e Flamengo, pelas oitavas de finais da Copa do Brasil de 2013, passou por toda a defesa do adversário e deu um chapéu em Luis Antônio. Assim, com a bola no ar, o camisa 7 marcou um golaço no Mineirão.

Após breve passagem pelo Al-Ahli, dos Emirados Árabes Unidos, Everton assinou com o próprio Flamengo. No início, o jogador não mostrou o ótimo futebol. Contudo, logo depois, o camisa 7 começou a mostrar um grande rendimento. Em resumo, conquistou Libertadores em 2019, Campeonato Brasileiro de 2019 e 2020, Recopa em 2020 e Supercopa do Brasil de 2021. Ou seja, é um dos principais atletas da década.

https://twitter.com/evertonri/status/1365372613703446529?s=20

8: Ralf (Corinthians)

Outro grande atleta da nova era do Corinthians, Ralf chegou ainda em 2010. A torcida não fazia ideia de como aquele volante mudaria muita coisa. Os torcedores começaram a gostar do atleta quando Ralf deu um chapéu em Neymar. Mostrava uma grande raça e ganhou o apelido de pit-bull. Fez parte do elenco campeão da Libertadores de 2012 e do Mundial do mesmo ano.

O jogador disputou mais de 350 jogos e não havia sido expulso ainda. Além disso, a posição de primeiro volante é uma das mais exigem que os jogadores cometam faltas, porém Ralf não recebeu um cartão vermelho. Então, em 2016, o ídolo foi vendido. Todavia, voltou em 2018. Entretanto, dois anos depois, Ralf não renovou o contrato e terminou a era no Corinthians. Disputou 437 jogos e marcou dez gols.

9: Fred (Fluminense, Atlético-MG e Cruzeiro)

Um dos principais atacantes da década, Fred é muito importante para o Fluminense. Afinal, ainda em 2010, conquistou o Campeonato Brasileiro – título que a equipe não ganhava desde de 1984. Marcou gols importantes na campanha e foi peça chave. Em 2011, marcou o gol de número 200 da carreira. Naquela ocasião, o atacante balançou as redes de bicicleta diante do Coritiba. Na partida contra o Grêmio, Fred marcou quatro gols. Assim, dando a vitória ao clube carioca por 5 x 4.

Em 2012, levantou mais um troféu do Brasileirão. Disputou Copa das Confederações e Copa do Mundo, ambos no Brasil. Então, em 2016, assinou com o Galo, sendo importante na conquista do Mineiro de 2017. Passou pelo rival Cruzeiro e atualmente está no Fluminense. Em resumo, disputou 477 jogos e balançou as redes em 253 oportunidades. Por fim, é o maior artilheiro do Campeonato Brasileiro na era de pontos corridos.

https://twitter.com/fredgol9/status/1277284929165017090?s=20

10: Neymar (Santos)

A seleção da década não estaria completa sem um dos principais jogadores do Brasil, Neymar ficou até 2013 no Santos. Em contrapartida, durante esse tempo, o atacante encantou os estádios do Brasil. Além disso, conquistou o Prêmio Puskas de 2011 com o gol diante do Flamengo, na Vila Belmiro. O jogador fez parte do Santos que conquistou três vezes o Campeonato Paulista (2010,2011 e 2012). Assim também, venceu a Libertadores de 2011 ao lado de Ganso e outros atletas.

Sem dúvidas, marcou presença na seleção da década. Em 2013, após quatro anos no Peixe, Neymar foi vendido ao Barcelona. Mas a grande campanha do atleta na Libertadores ficará na lembrança dos torcedores. Jogou 230 confrontos, marcou 138 e deu 65 assistências.

11: Dudu (Palmeiras)

A princípio, São Paulo, Corinthians e Palmeiras disputaram a compra do atacante. No entanto, o Verdão levou a melhor. Com isso, o jogador chegou com grandes expectativas. Afinal, o Alviverde quase caiu em 2014 e precisava de um grande nome para começar 2015. Então, rapidamente, Dudu virou peça fundamental e ajudou muito na conquista do Brasileirão de 2016 e 2018. Também venceu a Copa do Brasil de 2015. 

Sem dúvidas, na nova era do Palmeiras, o atacante foi um dos grandes nomes. Marcou 70 gols e deu 75 assistências em 305 jogos. Atualmente, Dudu está de volta ao time paulista após passar um ano emprestado ao Al-Duhail, do Catar. Assim, o jogador faz parte da seleção da década.

https://twitter.com/eumaricotaaa/status/1394631858516856839?s=20

Foto destaque: Divulgação/Brasileirão Assaí 

Caio Henrique de Oliveira
Eu escolhi jornalismo simplesmente por amar futebol. Desde 2016 eu tenho essa vontade de ser jornalista e trabalhar com esse esporte. Eu já trabalhei durante três anos em uma rádio aqui da minha cidade, lá eu fazia um programa de música e também um programa esportivo. Meu objetivo é trabalhar fora, possivelmente na Europa falando sobre o futebol europeu. Minha personalidade é de estar de bom humor na maioria do tempo.