Raniel, a jovem promessa de Santa Cruz e Cruzeiro, completa 24 anos

- Atualmente no Santos, atacante tem bonita história de superação até se tornar jogador profissional de futebol
Raniel brilhou com a camisa do Cruzeiro

Nesta quinta-feira (11), a coluna Parabéns ao Craque comemora os 24 anos de uma das principais joias que a base do Santa Cruz garimpou. No entanto, foi no Cruzeiro que ela foi lapidada. Assim, estamos falando do atacante Raniel. Atualmente, no Santos, com quem assinou por quatro temporadas no final de 2019, nosso aniversariante de hoje superou altos e baixos para ter sucesso no futebol.

Leia mais:

https://www.instagram.com/p/B79zwugHewD/?utm_source=ig_web_copy_link

UMA INFÂNCIA MARCADA POR PERDAS

Assim, em 11 de junho de 1996 nascia Raniel Santana de Vasconcelos. Recifense, seria apenas mais um menino pernambucano que, como muitos, convive com dificuldades na infância. Todavia, tão cedo, aos seis anos, o garoto perdeu o pai e foi abandonado numa caixa de sapato pela mãe, que o deixou na porta de uma vizinha chamada Dione. Logo, foi essa mulher que o adotou e levou-o para morar junto aos seus outros três filhos. No entanto, aos oito anos, com a morte de sua mãe de criação, o atacante passou a ser cuidado pelo tio, Júnior. Dessa forma, encontrou guarida e estudos que o ajudaram a seguir com a vida.

No entanto, o contato com a bola foi de cedo. Aos cinco anos, Raniel já estava na base do Santa Cruz através do treinador Barão Xavier. Inicialmente, encontrou no futsal um meio de inserção e de afeto já que seu primeiro técnico era tratado como um segundo pai. Tão logo ganhou destaque no salão, migrou para o campo aos 15 anos. Assim, adaptou-se rapidamente e já era destaque nas categorias de base do Tricolor do Arruda, onde era considerado uma joia bruta a ser lapidada.

NO SANTA CRUZ, DOPING E TÍTULOS

Após jogar a Copa São Paulo de Futebol Júnior, em 2014, Raniel teve a primeira grande oportunidade na carreira ao ser promovido aos profissionais do Santa Cruz. No entanto, com apenas 17 anos e pouco tempo de rodagem no elenco, uma “bomba” explodiu em sua carreira que quase a fez encerrar precocemente. Isso porque, ainda em 2014, ele foi pego no exame antidoping por uso de cocaína e foi punido com 12 meses de suspensão.

Apesar disso, como bom nordestino que resiste aos obstáculos da vida, ao final do período, o atacante voltou aos gramados e, finalmente, para mostrar seu futebol. Assim, pelo Santa Cruz, escreveu uma das mais brilhantes páginas da história coral. Pois, participou dos títulos do Campeonato Pernambucano, em 2015 e 2016. Além disso, Raniel esteve presente nos dois principais momentos da década: a inédita conquista da Copa do Nordeste, em 2016, e a volta à Série A, após 10 anos, em 2015. Com o prêmio de revelação do estadual de 2015, caiu nas graças da torcida tricolor.

A PROJEÇÃO NACIONAL NO CRUZEIRO

Logo, as boas atuações fizeram o Cruzeiro, do então técnico Mano Menezes, contratá-lo por empréstimo. Assim, chegou a Belo Horizonte com status de grande promessa e com gols, rapidamente, se tornou um dos grandes nomes do Sub-20 da Raposa. Isso porque, em 16 partidas, Raniel marcou oito gols, sendo cinco em cobranças de falta. Demonstrando personalidade e faro de artilheiro, empolgou a comissão técnica, que lhe promoveu ao time principal. No entanto, como profissional, já em 2016, demorou para encantar.

Logo, a temporada de 2017 foi seu momento de afirmação no futebol brasileiro. Pois, com a saída do atacante argentino Ramón Ábila, Raniel passou a ter oportunidades na linha de frente e não decepcionou. Assim, com estrela, marcou seu primeiro gol na vitória por 1 x 0 contra a Chapecoense, triunfo que garantiu a classificação às quartas de final da Copa do Brasil de 2017. Competição esta que viria a ser conquistada pelo Cruzeiro. Dessa forma, forte no cabeceio e bom como pivô, o atacante se impõe na força física. Algo que lhe ajudou a marcar gols importantes em clássicos ou partidas de destaque, se tornando xodó da torcida cruzeirense.

A NOVA JORNADA EM TERRAS PAULISTAS

Apesar disso, endividado e precisando fazer caixa, o Cruzeiro passou a desconstruir o elenco campeão da Copa do Brasil 2017 e 2018. Assim, em 2019, Raniel desembarcaria em São Paulo para atuar pelo Tricolor Paulista. Logo, comprovando ter estrela, não demorou para anotar o primeiro gol pelo clube, novamente contra a Chapecoense, na goleada por 4 x 0 pela Série A. No entanto, após, não teve sequência e o aproveitamento parou nesse instante.

Ao final da temporada passada, Raniel foi negociado com o Santos, em uma transação que levou o meia Vitor Bueno ao Morumbi. Assim, em 2020, antes da paralisação por conta da pandemia da Covid-19, já havia marcado dois gols na partida contra a Inter de Limeira pelo Paulistão. Sendo, portanto, seus únicos tentos em seis atuações.

Dessa forma, Raniel viveu uma ascensão meteórica no Santa Cruz e o auge no Cruzeiro, onde conquistou duas Copas do Brasil e dois Campeonatos Mineiros. No entanto, como jovem jogador, ainda tem um grande caminho a percorrer na estrada da bola. Após superar tanta adversidade na infância, segue firme em busca de seu sonho de ser um grande jogador do futebol brasileiro.

Parabéns, Raniel!

Foto destaque: Reprodução/Alexandre Guzanshe

Ricardo do Amaral

Sobre Ricardo do Amaral

Ricardo do Amaral já escreveu 693 posts nesse site..

"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

BetWarrior


Poliesportiva


Ricardo do Amaral
Ricardo do Amaral
"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

    Artigos Relacionados

    Topo